Cultura

Em novo livro, Mário Magalhães aborda 2018 como mais um 'ano que não terminou'

Em entrevista à Rádio Metrópole, escritor falou sobre a obra, que será lançada hoje (13), às 19h, na Livraria Cultura do Salvador Shopping

[Em novo livro, Mário Magalhães aborda 2018 como mais um 'ano que não terminou']
Foto : Alexandre Galvão / Metropress

Por Juliana Rodrigues no dia 13 de Junho de 2019 ⋅ 09:21

O escritor Mário Magalhães, que lança hoje (13) em Salvador o livro "Sobre Lutas e Lágrimas - uma Biografia de 2018", afirmou que a obra conta a história de 2018 enquanto um ano-personagem que vai influenciar a vida dos brasileiros por muito tempo. Em entrevista a Mário Kertész, na Rádio Metrópole, Magalhães, que também é autor de "Marighella - O Guerrilheiro que Incendiou o Mundo", explicou que "Sobre Lutas e Lágrimas" se inspira em "1968 - O Ano que Não Terminou", de Zuenir Ventura, livro que narra um ano emblemático da história do Brasil e do mundo.

"Uma das ideias do livro é que 2018 vai influenciar por tanto tempo a nossa vida que esse ano não vai terminar. (...) O livro vai acompanhando o ano cronologicamente, porém o prólogo, a introdução, que é o capítulo mais longo, tenta amarrar o ano no que ele foi. E o maior desafio foi porque 2018 foi um ano muito barra-pesada, em vários aspectos, e a minha ideia era abrir o livro com uma história que fosse o contrário disso, como o Zuenir fez com o réveillon na casa da Heloísa Buarque de Hollanda. Abro o meu livro com o réveillon de 2017 para 2018, da Marielle [Franco] com a esposa, Mônica Benício. E a partir daí o livro vai acompanhando o ano cronologicamente. (...) Quando a gente vai ver o que aconteceu em 2018, a gente para e pensa: tudo isso aconteceu em 2018? Foi um ano tão maluco...", explicou.

O livro tem como protagonistas a vereadora Marielle Franco, assassinada em 14 de março; o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso em 7 de abril; e o presidente Jair Bolsonaro, eleito em 28 de outubro. As três datas são consideradas decisivas na narrativa, que ainda aborda fatos como o incêndio no Museu Nacional do Rio de Janeiro, o surto de febre amarela, o atentado contra Bolsonaro e a politização da Justiça no contexto das eleições de 2018.

Embora narre tantos temas densos, "Sobre Lutas e Lágrimas" não deve ser considerado um livro triste, segundo o autor. "Meu filho mais novo chegou e falou 'pai, esse seu novo livro só vai ter história triste, né?'. Eu falei, 'não, esse livro não tem só histórias tristes, porque ele tem a história de quem foi à luta. Tem histórias dramáticas, emocionantes, comoventes", disse Magalhães, ressaltando que há, ainda, elementos "tragicômicos" no livro, como os relatos sobre a Copa do Mundo de 2018 e a ascensão do autoproclamado filósofo Olavo de Carvalho, que, para ele, "não merece ser levado a sério".

O lançamento de "Sobre Lutas e Lágrimas - Uma Biografia de 2018" acontece às 19h, na Livraria Cultura do Salvador Shopping.

Notícias relacionadas