Economia

Meirelles diz que salário da mulher se iguala ao do homem em 20 anos

Nesta quinta-feira (9), durante o Fórum Estadão, evento realizado em São Paulo para discutir a reforma da Previdência, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, declarou que a defasagem de remuneração entre homens e mulheres deve acabar em 20 anos. [Leia mais...]

[Meirelles diz que salário da mulher se iguala ao do homem em 20 anos]
Foto : Agência Brasil

Por Yasmin Garrido no dia 09 de Março de 2017 ⋅ 14:35

Nesta quinta-feira (9), durante o Fórum Estadão, evento realizado em São Paulo para discutir a reforma da Previdência, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, declarou que a defasagem de remuneração entre homens e mulheres deve acabar em 20 anos. Para ele, esse é o tempo de transição para que passem a valer as novas regras da reforma da Previdência, que devem ser aprovadas ainda no primeiro semestre de 2017.

O ministro ainda disse que a remuneração média das mulheres com idade entre 20 e 25 anos é praticamente igual à dos homens. “Essa diferença está acabando”, afirmou. “A tendência é que em 20 anos isso esteja igualado", acrescentou. Para Meirelles, "a reforma da Previdência não é um objeto de decisão, é uma necessidade”.

No entanto, na última quarta-feira (8), quando foi comemorado o Dia Internacional da Mulher, o especialista da Organização das Nações Unidas (ONU) Mulheres Julien Pellaux afirmou, em entrevista à ONU News, que a paridade salarial entre homens e mulheres vai levar 170 anos para ser alcançada.

Notícias relacionadas

[Setor de serviços cai 0,2% em agosto, diz IBGE]
Economia

Setor de serviços cai 0,2% em agosto, diz IBGE

Por Juliana Rodrigues no dia 11 de Outubro de 2019 ⋅ 11:20 em Economia

Índice representa o quinto resultado negativo registrado em 2019 e foi puxado pela queda nas atividades ligadas aos transportes

[Vendas do varejo caem -1,0% de julho para agosto na Bahia]
Economia

Vendas do varejo caem -1,0% de julho para agosto na Bahia

Por Juliana Almirante no dia 10 de Outubro de 2019 ⋅ 12:40 em Economia

Resultado foi alcançado na série livre de influências sazonais, depois do crescimento de 2,4% que havia sido registrado na passagem entre junho para julho