Economia

Reajuste no preço de medicamentos pode ser de até 2,84%

Os medicamentos receberão reajuste de até 2,84% em 2018, a correção passa a valer a partir de amanhã (31). A adequação autorizada pelo governo federal foi publicada na edição extraordinária do Diário Oficial da União (DOU) de ontem em resolução da Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (Cmed). [Leia mais...]

[Reajuste no preço de medicamentos pode ser de até 2,84%]
Foto : Fernanda Carvalho/Fotos Públicas

Por Marina Hortélio no dia 30 de Março de 2018 ⋅ 14:40

Os medicamentos receberão reajuste de até 2,84% em 2018, a correção passa a valer a partir de amanhã (31). A adequação autorizada pelo governo federal foi publicada na edição extraordinária do Diário Oficial da União (DOU) de ontem em resolução da Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (Cmed).

O aumento varia conforme o tipo de medicamento e pode ser de 2,09%, 2,47% ou 2,84%. Apesar de elevar os preços na tabela de Preços Máximos ao Consumidor (PMC), as taxas de reajuste estão abaixo da inflação do ano passado, que foi de 2,95%. Segundo uma nota do Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos no Estado de São Paulo (Sindusfarma), essa é a segunda vez consecutiva que a correção ficou abaixo do esperado. "A indústria farmacêutica tem conseguido segurar seus preços, apesar do expressivo aumento dos custos de produção nos últimos anos", disse o presidente do Sindusfarma, Nelson Mussolin, ao Estadão.

Segundo o jornal, o sindicato explicou ainda que o reajuste atualiza a tabela PMC, mas não provoca aumentos automáticos nem imediatos nas farmácias e drogarias. Ainda segundo a entidade, cerca de 13 mil apresentações de medicamentos disponíveis no mercado varejista brasileiro devem ser atingidos pela adequação dos preços.

Notícias relacionadas

[Comércio varejista cresce 1% em julho, diz IBGE]
Economia

Comércio varejista cresce 1% em julho, diz IBGE

Por Juliana Rodrigues no dia 11 de Setembro de 2019 ⋅ 13:20 em Economia

Segundo dados da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), sete das oito atividades pesquisadas tiveram alta nas vendas