Economia

Airbnb registra 3,8 milhões de pernoites em 2018 e gera prejuízos para hotelaria

O presidente da ABIH Nacional, Manoel Linhares, diz que competição com o Airbnb é desleal

[Airbnb registra 3,8 milhões de pernoites em 2018 e gera prejuízos para hotelaria]
Foto : Divulgação

Por Kamille Martinho no dia 09 de Fevereiro de 2019 ⋅ 15:30

O Airbnb registrou cerca de 3,8 milhões de chegadas de hóspedes em 2018, um aumento de 71% frente a 2017. Os números significam prejuízo para a hotelaria nacional e lideranças do setor se empenham para competir com condições de igualdade.

“Acompanhamos a movimentação da plataforma em termos de faturamento médio, mas não temos como comparar. Mesmo que a diária dos chamados anfitriões seja colocada em um patamar mais baixo, em tese o prejuízo continua grande. Há efetiva perda de ocupação hoteleira”, comenta o Presidente da FBHA, Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação, Alexandre Sampaio.

O presidente da ABIH Nacional (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis), Manoel Linhares, diz que a competição com o Airbnb é desleal. “O aplicativo não possui empreendimentos, não gera emprego, não paga carga tributária como nós. Concorrer com alguém que paga zero de imposto é difícil”, enfatiza. 

Em busca por uma concorrência mais justa, as associações hoteleiras lutam pela regulamentação da plataforma. Com a posse de uma nova frente parlamentar em 2019, o objetivo é aprovar a regulamentação dos aplicativos de hospedagem ainda este ano.

Apesar das críticas aos apps de hospedagem, a ABIH Nacional não almeja a extinção deles. “Não somos contra a inovação ou a tecnologia. Só buscamos poder igualitário de competição”, acrescenta Linhares. Ele ainda comenta que essa discussão tem caráter global.

O Airbnb ressaltou que a empresa já é regulamentada pela Lei do Inquilinato (Lei n° 8.245/91), que diz que qualquer residência pode ser utilizada para aluguel por temporada, por isso, o único imposto da locação é paga pelo anfitrião.

Notícias relacionadas