Faça parte do canal da Metropole no WhatsApp >>

Sábado, 20 de abril de 2024

Home

/

Notícias

/

Educação

/

Seis instituições são notificadas por oferecerem cursos de medicina sem autorização do MEC

Educação

Seis instituições são notificadas por oferecerem cursos de medicina sem autorização do MEC

instituições têm cinco dias corridos para prestar esclarecimentos à Diretoria de Supervisão da Educação Superior da Seres (Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior) do MEC

Seis instituições são notificadas por oferecerem cursos de medicina sem autorização do MEC

Foto: Rafa Neddermeyer/Agência Brasil

Por: Metro1 no dia 29 de março de 2024 às 18:00

O Ministério da Educação (MEC) notificou seis instituições de ensino superior que anunciaram novos cursos de medicina sem autorização. As universidades, que realizaram vestibulares para o curso de medicina com base em decisões judiciais provisórias, foram instruídas a suspender imediatamente a oferta de vagas e a divulgar uma nota pública esclarecendo que o curso de medicina ainda não possui a autorização obrigatória do MEC.

As instituições têm cinco dias corridos para prestar esclarecimentos à Diretoria de Supervisão da Educação Superior da Seres (Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior) do MEC. Além disso, devem apresentar comprovação do cumprimento das medidas cautelares dentro de 15 dias e têm 30 dias para apresentar recurso. O descumprimento das orientações do MEC pode resultar em penalidades, incluindo a desativação de cursos e habilitações, intervenção federal na universidade e descredenciamento.

Entre as instituições notificadas estão o Unifacens (Centro Universitário Facens), de Sorocaba (SP), e o UniMauá (Centro Universitário Mauá de Brasília), com sede em Taguatinga Sul (DF). A UniMauá confirmou estar ciente da determinação do MEC e lamentou a decisão, afirmando que seu curso de medicina cumpriu todos os requisitos de qualidade impostos pela legislação vigente.

O MEC ainda não divulgou os nomes das outras quatro universidades notificadas pelo mesmo motivo. A medida faz parte dos esforços do MEC para estabelecer um padrão para decidir sobre os pedidos instaurados por força de decisão judicial e tornar as modificações mais coerentes com o Programa Mais Médicos.