Faça parte do canal da Metropole no WhatsApp >>

Sábado, 15 de junho de 2024

Home

/

Notícias

/

Entretenimento

/

Perfis de influenciadores que exibem riqueza são censurados e bloqueados pelo governo da China

Entretenimento

Perfis de influenciadores que exibem riqueza são censurados e bloqueados pelo governo da China

A censura comunista lançou em abril uma campanha para varrer luxo e ostentação das redes sociais do país

Perfis de influenciadores que exibem riqueza são censurados e bloqueados pelo governo da China

Foto: Divulgação

Por: Metro1 no dia 28 de maio de 2024 às 13:30

Perfis de influenciadores chineses que exibiam estilos de vida luxuosos foram bloqueados pela censura do país. As autoridades comunistas anunciaram, antes da limpa, o início de uma campanha contra a exibição de riqueza na internet. Um dos bloqueados é Wang Hongquan, que tem (ou tinha) mais de quatro milhões de seguidores e postava vídeos exibindo roupas de grife, voos em primeira classe e até uma coleção de joias de jade.

Sua conta no Douyin, uma espécie de TikTok na China, ficou inacessível nesta terça-feira (28) e, em seu lugar, apareceu uma mensagem informando que ela havia sido bloqueada “por violar as diretrizes” da rede social.

No mês passado, o regulador estatal chinês de internet lançou uma campanha, intitulada "Claro e Brilhante", para retirar conteúdos indesejáveis das redes sociais e atuar contra influenciadores que, segundo a censura oficial, criaram "personagens ostentosos para satisfazer necessidades vulgares e mostrar deliberadamente estilos de vida extravagantes repletos de dinheiro".

A mídia estatal indicou que os vídeos de Wang desapareceram do Douyin este mês, junto com outros relatos de influenciadores do mesmo estilo. O mesmo caso de “Abalone Sister”, uma mulher que se filmava em sua mansão ornamentada, exibindo frequentemente colares de pérolas e diamantes. Seus vídeos no Bilibili, uma rede social chinesa similar ao YouTube, também não estão disponíveis hoje.

Nos últimos anos, o governo comunista chinês vem tentando controlar celebridades nas redes sociais, criticando-as por “adorarem o dinheiro” e publicarem conteúdo “vulgar”.