Esportes

Justiça do RJ nega habeas corpus a lutador marroquino suspeito de estupro

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) negou o habeas corpus do boxeador do Marrocos Hassan Saada, de 22 anos, preso por suspeita de estupro, na última sexta-feira (5). O atleta teria praticado o crime contra duas camareiras brasileiras que trabalham na Vila dos Atletas, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Reprodução G1/Gabriel Barreira

Por Jessica Galvão no dia 06 de Agosto de 2016 ⋅ 14:31

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) negou o habeas corpus do boxeador do Marrocos Hassan Saada, de 22 anos, preso por suspeita de estupro, na última sexta-feira (5). O atleta teria praticado o crime contra duas camareiras brasileiras que trabalham na Vila dos Atletas, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio.

O pedido foi indeferido pelo desembargador Wilson do Nascimento Reis indeferiu na madrugada deste sábado (6), segundo o G1. Na decisão, que saiu no plantão judiciário, o desembargador disse que não encontrou irregularidade na prisão que justificasse o deferimento do habeas corpus.

De acordo com o advogado de defesa Paulo Freitas Ribeiro, Hassan está fora da Olimpíada. Ainda segundo Ribeiro, ele iria disputar o ringue, neste sábado (6), com o turco Nadir Mehmet Unal, porém não há mais possibilidade de recorrer da decisão para garantir que ele permaneça na competição.

Notícias relacionadas

[Carol Solberg recorre de advertência ao Pleno do STJD]
Esportes

Carol Solberg recorre de advertência ao Pleno do STJD

Por Luciana Freire no dia 19 de Outubro de 2020 ⋅ 22:00 em Esportes

Na última terça (13), em julgamento em primeira instância, ela foi condenada, por três votos a dois, por descumprir regulamento, ao falar "Fora Bolsonaro" após uma partid...

[Santos e Robinho anunciam suspensão de contrato ]
Esportes

Santos e Robinho anunciam suspensão de contrato

Por Luciana Freire no dia 16 de Outubro de 2020 ⋅ 19:22 em Esportes

Decisão se dá depois da pressão de conselheiros e patrocinadores após a divulgação de diálogos em que o jogador Robinho relata estupro que teria sido cometido por ele