Esportes

Ba-Vi: após campanha de paz na TV, presidente do Bahia incita \'guerra\' no Twitter

Antes mesmo da bola rolar, o clássico Ba-Vi decisivo pelo segundo jogo da semifinal da Copa do Nordeste já provocou uma intensa troca de farpas das diretorias de Bahia e Vitória após a derrota tricolor na partida de ida. Nas redes sociais, a diretoria do Esquadrão de Aço promoveu uma série de materiais fazendo alusão a erros de arbitragem que teriam acontecido nos últimos anos a favor do Vitória. [Leia mais...]

[Ba-Vi: após campanha de paz na TV, presidente do Bahia incita \'guerra\' no Twitter]
Foto : Tácio Moreira/Metropress

Por Matheus Simoni e Felipe Paranhos no dia 30 de Abril de 2017 ⋅ 07:03

Antes mesmo da bola rolar, o clássico Ba-Vi decisivo pelo segundo jogo da semifinal da Copa do Nordeste já provocou uma intensa troca de farpas das diretorias de Bahia e Vitória após a derrota tricolor na partida de ida. Nas redes sociais, a diretoria do Esquadrão de Aço promoveu uma série de materiais fazendo alusão a erros de arbitragem que teriam acontecido nos últimos anos a favor do Vitória.

Com a hashtag '#DomingoÉGuerra', o presidente Marcelo Sant'Ana e o vice Pedro Henriques convocaram os torcedores do Bahia para lotar a Fonte Nova e pressionar o rival. O discurso adotado nada se assemelha ao utilizado antes do primeiro confronto das semifinais, onde os dirigentes dos dois clubes da capital aparecem em campanhas educacionais promovendo a paz no Ba-Vi.

O problema é que, conhecendo o grau de tensão entre os torcedores de Bahia e Vitória - sobretudo após a morte de um tricolor e a separação forçada das duas torcidas -, tal campanha corre o risco de ser interpretada como a antítese do que a diretoria pregou anteriormente - ou até como uma incitação à animosidade fora de campo.

 

Notícias relacionadas