Esportes

PM cobra pontualidade do Bahia no Ba-Vi do Barradão

No jogo do último dia 8 de abril, pelo Baianão, o ônibus da delegação do Esquadrão de Aço foi apedrejado na chegada ao estádio

[PM cobra pontualidade do Bahia no Ba-Vi do Barradão]
Foto : Divulgação/ECV/Maurícia da Matta

Por Matheus Simoni no dia 06 de Novembro de 2018 ⋅ 10:59

A Polícia Militar quer que o Bahia respeite o cronograma previsto para o clássico Ba-Vi do próximo domingo (11), no Barradão. Em entrevista à Rádio Metrópole, durante o Jornal da Bahia no Ar de hoje (6), o tenente-coronel Saulo, do Batalhão Especializado em Policiamento de Eventos (Bepe), reclamou da postura do time baiano no último clássico, quando o time tricolor não atendeu ao horário estipulado.

No jogo do último dia 8 de abril, pelo Baianão, o ônibus da delegação do Esquadrão de Aço foi apedrejado na chegada ao estádio. "Eu gostaria do bom senso do presidente Bellintani e que viabilizasse o descanso dos atletas dentro da área do Barradão, no vestiário. Óbvio que não é a mesma circunstância da área em que estão concentrados. Mas eles já estariam seguros no estádio. O Barradão só tem uma entrada, que perpassa por todas a região onde fica concentrada a torcida do Vitória. Vamos tentar mobilizar uma área onde o ônibus chegue sem nenhum percalço, mas precisamos conversar com a direção do Bahia esse entendimento", declarou.

A partida está prevista para as 16h. Segundo o comandante do Bepe, o Bahia teria que estar no estádio, no mínimo, duas horas antes do jogo. " Como temos dificuldade de acesso ao Barradão, a gente solicita o bom senso da direção do Bahia para que ele cumpra o horário previsto por nós para que estejam dentro do estádio sem qualquer problema nas imediações na chegada para ter a tranquilidade de poder jogar bola", disse o PM.

Ao todo, serão 370 policiais destinados à segurança do clássico no Barradão. "A gente não abre mão da manutenção da paz nos jogos de futebol. Zelamos por Bahia e Vitória, principalmente na área do estádio, e zelamos pela segurança dos torcedores na área externa", afirmou o tenente. 

Bahia reclama de 'impacto' na preparação

Ainda no programa, o presidente do Bahia, Guilherme Bellintani, entrou no ar e falou do impacto da chegada antecipada no estádio do Vitória. "Eu não conheço nenhum precedente de um clube da Série A que chegue com duas horas e 45 minutos de antecedência. Isso tem impacto em altas coisas com atletas de alto nível. Tem impacto no almoço e no processo de organização do clube. Mas tenho certeza de que vamos resolver isso", disse o dirigente.

Ainda segundo Bellintani, a expectativa é de que o cronograma seja cumprido de forma rigorosa no clássico. "O propósito é que a gente diminua qualquer tipo de problema no Ba-Vi e fazer com que, de fato, a gente fique concentrado na questão de campo. Tem elementos para que a logística seja o melhor possível. Cumprimos rigorosamente os horários estabelecidos pela Polícia militar, apesar dos problemas no estádio", finalizou.

Notícias relacionadas