Esportes

Justiça não concede pedido do Bahia em ação sobre plotagens na Fonte Nova

Em decisão obtida pelo Metro1, desembargadora não concedeu pedido favorável ao Bahia e cobrou um novo prazo para as contrarrazões

[Justiça não concede pedido do Bahia em ação sobre plotagens na Fonte Nova]
Foto : Divulgação/ECB/Felipe Oliveira

Por Matheus Simoni no dia 27 de Maio de 2019 ⋅ 09:20

A Justiça não concedeu o pedido feito pelo Bahia contra a decisão liminar que determinou a retirada de todas as plotagens, placas, bandeiras e símbolos do tricolor na Arena Fonte Nova e nos arredores do estádio. O caso foi julgado pela desembargadora Sandra Inês Moraes Rusciolelli Azevedo, da Terceira Câmara Cível do Tribunal de Justiça da Bahia. O clube apontou que a liminar foi conferida de forma "superficial", sem levar em conta a anuência do poder público para a utilização da Fonte Nova.

Em decisão obtida pelo Metro1, a desembargadora não concedeu pedido do Bahia e cobrou um novo prazo para as contrarrazões. Ainda não há prazo para julgamento do mérito do agravo, instrumento utilizado pelo tricolor para questionar a liminar.

A ação popular foi proposta pelo ex-conselheiro do Vitória Juarez Wanderley, em dezembro do ano passado, quando o tricolor inaugurou uma loja na área externa da Fonte Nova. O juiz Glauco Dainese de Campos, da 7ª Vara da Fazenda Pública de Salvador, deferiu a liminar e determinou a retirada das peças publicitárias alusivas ao Bahia na fonte nova. O magistrado obrigou o estádio a remover pinturas, plotagens e placas do estádio, no prazo de 15 dias, sob multa diária de $20 mil. No entanto, a medida mantém a loja do tricolor na Arena Fonte Nova.

Leia mais:

>>> Justiça obriga Fonte Nova a retirar plotagens do Bahia em vésperas de jogos

>>> Juiz diz que 'Bahia se apropriou de um bem público' ao 'plotar' a Fonte Nova

 

Notícias relacionadas