Faça parte do canal da Metropole no WhatsApp >>

Quinta-feira, 11 de abril de 2024

Jornal Metropole

Salvador Carnaval do Brasil: com 100h de transmissão, Metropole e Macaco Gordo chegam a 6 mi de pessoas

Nomes da política e da gestão pública, foliões anônimos e artistas estamparam as telas da transmissão Salvador Carnaval do Brasil

Salvador Carnaval do Brasil: com 100h de transmissão, Metropole e Macaco Gordo chegam a 6 mi de pessoas

Foto: Metropress/Tácio Moreira

Por: Lila Sousa no dia 22 de fevereiro de 2024 às 00:00

Atualizado: no dia 22 de fevereiro de 2024 às 11:57

Dicas publicadas originalmente no Jornal Metropole em 22 de fevereiro de 2024

Com recorde de público nos circuitos espalhados pela cidade, em 2024 o Carnaval de Salvador marcou nossa história e a de milhões de foliões. Foram mais de 100 horas de transmissão, entregan - do ao público um conteúdo diferente, que só poderia acontecer com a mistura da identidade da Rádio Metropole e da Macaco Gordo. Foram mais de duas milhões de visualizações, mostrando ao mundo, durante os 11 dias de folia, o sorriso, a dança e cada nota musical da maior festa de rua do mundo. A transmissão começou no 2 de fevereiro com a Enxaguada do Brown, seguindo com Fuzuê, Furdunço, Melhor Segunda-feira do Mundo, Pipoco, abertura do Carnaval e os seis dias oficiais da festa que consagrou a trasmissão multiplataforma Salvador Carnaval do Brasil.

No Instagram, mais de seis milhões de pessoas foram alcançadas com os recortes da nossa baianidade. Nos circuitos, quem passava via os nossos estúdios na Barra e no Campo Grande e nossos equipe com mais de 100 profissionais unindo forças. Foram mais de 20 câmeras exclusivas - na rua, direto da pipoca e até fixas em alguns trios. A engenharia era complicada, mas permitia o som mixado direto dos trios.

Passaram por nossos estúdios, o secretário de Cultura de Salvador, Pedro Tourinho; o comandante-geral da Polícia Militar da Bahia, cel. Paulo Coutinho; o vice-governador e coordenador do Carnaval, Geraldo Jr (MDB); o presidente da Embasa, Leonardo Góes; Isaac Edington, presidente da Saltur; a delegada-geral da Polícia Civil Bahia, Heloísa Brito, além de Carlinhos Brown. E ainda o diretor da Guarda Municipal de Salvador, Maurício Lima, e a secretária de Saúde da Bahia, Roberta Santana. Isso sem falar nos foliões, que garantiram o riso e a alegria de quem assistia. Como esquecer de Jhames Roger, o comerciante que no meio do Furdunço anunciou que Carnaval não é lugar para quem está sem dinheiro e que “duro, dorme e pede para chover”. Ou a icônica foliã que declarou que se “esperou nove meses para nascer” porque não aguardaria o atraso de 4h de Xandy Harmonia? E ainda o jovem que aproveitou a folia para pe - dir uma vaga de estágio na Metropole .