METROPOLE

Sexta-feira, 07 de maio de 2021

Justiça

STJ adia caso de desembargadora acusada de caluniar Marielle

A magistrada Marília de Castro Neves Vieira, do TJRJ, acusou pelas redes sociais que a vereadora fazia parte de uma organização criminosa, que resultou em sua morte

STJ adia caso de desembargadora acusada de caluniar Marielle

Foto: Dayane Pires/CMRJ

Por: Luciana Freire no dia 11 de fevereiro de 2021 às 18:40

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) adiou para o dia 3 de março de 2021 o julgamento da desembargadora do Rio de Janeiro processada por calúnia pela família de Marielle Franco, ex-vereadora assassinada em março de 2018.

Um ano após a morte de Marielle, a magistrada Marília de Castro Neves Vieira, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ), acusou pelas redes sociais que a vereadora fazia parte de uma organização criminosa, que resultou em sua morte.

A desembargadora está sendo investigada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em processo administrativo disciplinar.

A suspensão da sessão que ocorreria hoje (11) se deu pela discussão na Corte Especial do afastamento do governador do estado, Wilson Witzel, do cargo, além de avaliar se o mesmo deve virar réu à Justiça.

TV METRO

Comentários

Camila Vasconcelos

Em 06 de maio de 2021
ASSINE O CANALMETROPOLE NO YOUTUBE
STJ adia caso de desembargadora acusada de caluniar Marielle - Metro 1