Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Justiça

Lava Jato: 'A OAS tem que mijar sangue', diz procurador em mensagens

A colaboração de Leo Pinheiro, que presidiu a empresa, foi considerada essencial para embasar a condenação de Lula no caso do triplex do Guarujá

[Lava Jato: 'A OAS tem que mijar sangue', diz procurador em mensagens ]
Foto : Reprodução/RPC

Por Luciana Freire no dia 01 de Março de 2021 ⋅ 20:30

Os procuradores da força-tarefa da Lava Jato de Curitiba discutiram através de mensagens de WhatsApp a necessidade de endurecer com a empreiteira OAS antes que ela voltasse à mesa de negociação de uma delação premiada. A informação foi divulgada pelo jornal Folha de S.Paulo.

A colaboração de Leo Pinheiro, que presidiu a empresa, foi considerada essencial para embasar a condenação de Lula no caso do triplex do Guarujá. Um ano antes da condenação do presidente, em 2017, no entanto, a delação do executivo da OAS foi interrompida.

Os diálogos, analisados pelo perito Cláudio Wagner, foram enviados nesta segunda (1º) ao Supremo pelo escritório Teixeira Zanin Martins Advogados, que representa o ex-presidente Lula. Ela teve acesso ao material depois de receber autorização do próprio tribunal.

Notícias relacionadas