Justiça

Promotoria arquivou o inquérito sobre o Ciro chamar Holiday de "capitãozinho do mato"

Em um outro processo, Ciro já foi condenado a pagar R$ 38 mil ao vereador paulistano

[Promotoria arquivou o inquérito sobre o Ciro chamar Holiday de
Foto : Fábio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil

Por Metro1 no dia 26 de Junho de 2019 ⋅ 18:40

O Ministério Público de São Paulo (MP-BA) arquivou o inquérito sobre suposto crime de racismo que teria sido praticado contra o vereador da capital Fernando Holiday (DEM) pelo ex-candidato a presidente da República e ex-ministro Ciro Gomes (PDT). As informações são do site BuzzFeed News. O órgão estadual “entendeu que não havia injúria racial e sim injúria comum, de ação penal privada”.

Na pré-campanha eleitoral, no ano passado, em entrevista à rádio Jovem Pan, Ciro havia chamado Holiday de “capitãozinho do mato”. Na quarta-feira (25), voltou a repetir a expressão “capitão do mato”, incluindo o adjetivo “nazista” para tachar o vereador líder do Movimento Brasil Livre (MBL).

Ao site, Fernando Holiday afirmou que, além de pedir a investigação contra Ciro ao MP naquela ocasião, ingressou com uma ação cível de reparação de danos morais, o que condenou o ex-ministro a pagar uma indenização de R$ 38 mil. “O processo já superou a segunda instância e está em fase de execução, inclusive tendo havido recente tentativa de penhora da conta bancária do pedetista, que indicou crédito processual para pagamento”, explicou.

O vereador informou que ingressou com o segundo processo por Ciro ter feito nova ofensa, desta vez na Band, cuja audiência está marcada para o próximo dia 2. Depois da entrevista de ontem, Holiday promete recorrer à Justiça mais uma vez.

 

Notícias relacionadas