Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Mundo

Uganda: atual presidente é favorito nas eleições do país

O presidente do Uganda, Yoweri Museveni, no poder há 30 anos, é o favorito para as presidenciais que se realizam hoje e nas quais disputa um quinto mandato de cinco anos. [Leia mais...

[Uganda: atual presidente é favorito nas eleições do país ]
Foto : Reprodução/ Forbes

Por Matheus Morais no dia 18 de Fevereiro de 2016 ⋅ 07:23

O presidente do Uganda, Yoweri Museveni, no poder há 30 anos, é o favorito para as presidenciais que se realizam hoje e nas quais disputa um quinto mandato de cinco anos.

Cerca de 15 milhões de eleitores foram chamados a escolher entre Yoweri Museveni, de 71 anos, e sete outros candidatos, entre os quais uma mulher, mas apenas o opositor histórico Kizza Besigye e o ex-primeiro-ministro Amama Mbabazi poderão eventualmente forçar um segundo turno.

Desde a sua independência em 1962 que o país da África Oriental, com cerca de 37 milhões de habitantes, nunca conheceu uma alternância política pacífica e quase a metade dos eleitores nunca viu outro presidente.

Tendo chegado ao poder em 1986 – após tomar Kampala à frente do seu Exército de Resistência Nacional (NRA) e derrubar o autocrata Milton Obote – Museveni pode contar com a força financeira e o seu partido, o Movimento de Resistência Nacional (NRM).

Kizza Besigye já considerou que uma eleição livre e justa era impossível em Uganda e afirmou que não voltaria a se candidatar, após as derrotas nas três últimas eleições. No entanto, mudou de idéia.

Líder do Fórum para a Mudança Democrática (FDC), Besigye tem grande popularidade, sobretudo, nas cidades, mas não dispõe de recursos.

Notícias relacionadas

[Terremoto deixa 35 mortos na Indonésia]
Mundo

Terremoto deixa 35 mortos na Indonésia

Por Adele Robichez no dia 15 de Janeiro de 2021 ⋅ 09:05 em Mundo

Além das mortes, o tremor causou ferimentos em dezenas de pessoas e milhares tiveram que sair das suas casas