Mundo

Quase 71 milhões de pessoas foram forçadas a deixar seus países em 2018

Número é o maior em quase 70 anos, segundo o Acnur

[Quase 71 milhões de pessoas foram forçadas a deixar seus países em 2018]
Foto : Marcelo Camargo/Agência Brasil

Por Juliana Rodrigues no dia 19 de Junho de 2019 ⋅ 08:00

Em 2018, quase 71 milhões de pessoas em todo o mundo tiveram que deixar seus lares, abandonando as cidades e até mesmo os países em que viviam para escapar das consequências de guerras, perseguições ou conflitos violentos, segundo estimativa do relatório anual Tendências Globais, do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur), agência da ONU, divulgado hoje (19). Em média, a cada dia do ano passado, 37 mil pessoas migraram, fugindo da violência e da intolerância.

A nova edição do relatório mostra que, no ano passado, 70,8 milhões de pessoas tiveram que se deslocar, nacional ou internacionalmente, devido a perseguições, conflitos ou violência. Em números absolutos, é o maior volume de deslocamentos forçados em quase 70 anos de existência da agência. São 2,3 milhões de indivíduos a mais que o registrado em 2017, quando, segundo o Acnur, cerca de 68,5 milhões de pessoas fugiram de diferentes tipos de conflitos.

Em 2018, o número de refugiados chegou a 25,9 milhões de pessoas em todo o mundo. Foram 500 mil pessoas a mais que o estimado em 2017 e cerca de 3,4 milhões além do calculado em 2016, quando havia 22,5 milhões de refugiados.

Além disso, em 2018, metade dos refugiados eram crianças. Da população de refugiados, mais de dois terços vem de cinco países: Síria (6,7 milhões), Afeganistão (2,7 milhões), Sudão do Sul (2,3 milhões), Myanmar (1,1 milhão) e Somália (900 mil). Do total, apenas 16% foram acolhidos em países desenvolvidos, enquanto os países menos desenvolvidos receberam ao menos um terço dos refugiados.

Notícias relacionadas

[Mais de 821 milhões de pessoas no mundo passaram fome em 2018]
Mundo

Mais de 821 milhões de pessoas no mundo passaram fome em 2018

Por Alexandre Galvão no dia 16 de Julho de 2019 ⋅ 13:58 em Mundo

Conforme o documento Estado da Insegurança Alimentar e Nutricional no Mundo, desde 2015, a taxa de prevalência de desnutrição em todo mundo parou de cair e manteve-se em...