Sábado, 19 de junho de 2021

Polícia

Suspeito de matar amigo faz parte do programa Mais Médicos desde 2016

Doutor Júnior faz só poderia trabalhar no Brasil neste programa, pois não possui registro no CFM

Suspeito de matar amigo faz parte do programa Mais Médicos desde 2016

Foto: Reprodução / Redes Sociais

Por: Rodrigo Meneses no dia 02 de junho de 2021 às 19:10

O Ministério da Saúde (MS) informou que o médico Geraldo Freitas de Carvalho Júnior, 32 anos, preso por ser suspeito de matar o também médico Andrade Lopes Santana, 32, faz parte do Programa Mais Médicos (PMM). Conforme  a assessoria de imprensa do MS, Júnior ingressou através de um edital de novembro de 2016 destinado a médicos formados em instituições de educação superior brasileiras e estrangeiras. Júnior se formou em medicina na Bolívia.

Júnior não possui registro no Conselho Federal de Medicina (CFM) ou no Conselho Regional de Medicina do Estado da Bahia (Cremeb). No entanto, para atuar exclusivamente no PMM não é necessário possuir esse registro. Em nota, a assessoria de imprensa do MS informou que a Portaria GM/MS nº 2.477, de 22 de outubro de 2013, estabeleceu procedimentos para emissão do número de registro único para todos os médicos intercambistas participantes do PMM para o Brasil e a respectiva carteira de identificação.

Amigos de Andrade contaram, em anonimato, que Júnior já tirou plantão em alguns hospitais do interior da Bahia usando uma carteira do CFM falsificada.

 

Suspeito de matar amigo faz parte do programa Mais Médicos desde 2016 - Metro 1