Polícia

PM assume que matou colega e diz que tiro foi "acidental" no Alto do Cabrito

O policial militar que assumiu a responsabilidade pela morte do também PM Marivaldo Souza Amaral, no domingo (6), quando tentava separar um briga em frente a uma casa de shows, no Alto do Cabrito, prestou depoimento na tarde dessa segunda-feira (7). O delegado Odair Carneiro, coordenador da Força-Tarefa da SSP que investiga morte de policiais, ouviu, o rapaz. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Tácio Moreira / Metropress

Por Camila Tíssia no dia 08 de Novembro de 2016 ⋅ 09:53

O policial militar que assumiu a responsabilidade pela morte do também PM Marivaldo Souza Amaral, no domingo (6), quando tentava separar um briga em frente a uma casa de shows, no Alto do Cabrito, prestou depoimento na tarde dessa segunda-feira (7). O delegado Odair Carneiro, coordenador da Força-Tarefa da SSP que investiga morte de policiais, ouviu, o rapaz.

De acordo com o delegado, o policial se apresentou, durante a manhã, na Corregedoria da Polícia Militar, acompanhado de um advogado, e, de lá, foi encaminhado à sede do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), para prestar os esclarecimentos. Para proteger a integridade física do policial e de seus familiares, o nome dele não foi divulgado.

Segundo o PM, ao tentar conter a briga que acontecia em frente à casa de shows, a arma acabou disparando acidentalmente, acertando Marivaldo. A arma, uma pistola 380, de uso pessoal, foi apreendida e seguirá para o Departamento de Polícia Técnica (DPT) para ser periciada. Já o policial, por meio da Corregedoria, será encaminhado para o setor de psicologia da Polícia Militar.

Notícias relacionadas