METROPOLE

Sábado, 08 de maio de 2021

Política

Mourão diz que desrespeitar ordem da vacinação é 'falta de solidariedade'

Ao menos 13 estados estão sendo investigados pelo Ministério Público por irregularidades na distribuição de doses do imunizante contra o coronavírus

Mourão diz que desrespeitar ordem da vacinação é 'falta de solidariedade'

Foto: Marcos Corrêa/PR

Por: Adele Robichez no dia 22 de janeiro de 2021 às 12:30

O vice-presidente da República Hamilton Mourão declarou hoje (22), a jornalistas na frente do Palácio do Planalto, que passar na frente de grupos prioritários para receber a vacina contra o coronavírus é uma falta de solidariedade e de caráter. Ele afirmou que as fases da imunização têm que ser respeitadas.

Ao menos 13 estados estão sendo investigados pelo Ministério Público por irregularidades na distribuição das doses. Segundo o plano de vacinação nacional, os primeiros a receber a aplicação devem ser os profissionais da saúde que estão na linha de frente do combate à pandemia da Covid-19.

“É necessário também que as pessoas se conscientizem que cada um tem que comparecer de acordo com o seu grupo para ser vacinado, e não procurar atropelar o processo. Isso aí denota uma falta de solidariedade, uma falta de, vamos dizer assim, até de caráter de pessoa que faz isso”, disse Mourão.

Segundo o vice-presidente, se a ordem for obedecida, "vamos chegar ao final do ano com 150 milhões de pessoas vacinadas e em uma situação bem confortável".

Para imunizar essa quantidade de brasileiros, serão necessárias 300 milhões de doses. Por enquanto, o Brasil conta com 6 milhões - quantidade insuficiente para vacinar os grupos prioritários. A expectativa é de que, em breve, cheguem ao país mais 2 milhões de vacinas da Oxford/AstraZeneca e outras 4,8 milhões da Coronavac elaboradas pelo Instituto Butantan, que aguardam aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

TV METRO

Entrevistas

Roberto Coelho

Em 07 de maio de 2021
ASSINE O CANALMETROPOLE NO YOUTUBE
Mourão diz que desrespeitar ordem da vacinação é 'falta de solidariedade' - Metro 1