METROPOLE

Segunda-feira, 10 de maio de 2021

Política

Nova cúpula do Congresso tem mais da metade dos parlamentares investigados

Dos 14 integrantes das Mesas Diretoras, oito respondem ou são investigados por crimes que vão de estupro a contratação de funcionários fantasmas

Nova cúpula do Congresso tem mais da metade dos parlamentares investigados

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Por: Geovana Oliveira no dia 15 de fevereiro de 2021 às 16:20

Nas novas Mesas Diretoras da Câmara e do Senado, que controlam o Congresso desde a eleição no início de fevereiro, mais de metade dos integrantes está envolvida em demandas judiciais. Dos 14 parlamentares, oito respondem ou são investigados por crimes que vão de estupro a contratação de funcionários fantasmas e fraude em licitação. 

Segundo reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, todos foram alçados às funções pelos colegas parlamentares e com uma ajuda extra do presidente Jair Bolsonaro. A nova configuração das mesas foi escolhida em uma articulação do Palácio do Planalto com o Centrão.

Arthur Lira (Progressistas-AL), presidente da Câmara, é réu no chamado caso do “quadrilhão do PP”, formado por parlamentares que se articularam para desviar dinheiro da Petrobrás, segundo a Procuradoria-Geral da República, mas o nome também aparece em outros litígios. 

Além dele, responde por investigações a 2.ª Secretaria da Câmara, a deputada Marília Arraes (PT-PE), aliada de Lira. O Ministério Público de Pernambuco ajuizou ação que pede a devolução de R$ 156 mil gastos, segundo o órgão, para pagar quatro assessores que não davam expediente na Câmara do Recife enquanto ela era vereadora. 

Já o senador Irajá Silvestre Filho (PSD-TO), 1.º secretário do Senado, responde pelo estupro de uma modelo de 22 anos. No Senado, dos sete integrantes da Mesa, seis são alvo de ao menos uma investigação - a exceção é o presidente, Rodrigo Pacheco (DEM-MG).

TV METRO

Entrevistas

Rodrigo Maia

Em 10 de maio de 2021
ASSINE O CANALMETROPOLE NO YOUTUBE
Nova cúpula do Congresso tem mais da metade dos parlamentares investigados - Metro 1