Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Política

Wagner confirma candidatura ao governo da Bahia em 2022 e acusa Bolsonaro de prevaricação

Senador baiano aponta que presidente da República passou a adotar postura criminosa em relação à pandemia: "Ele, para mim, de doido virou bandido"

[Wagner confirma candidatura ao governo da Bahia em 2022 e acusa Bolsonaro de prevaricação]
Foto : Matheus Simoni/Metropress

Por Matheus Simoni no dia 04 de Março de 2021 ⋅ 09:01

Governador da Bahia de 2007 a 2014, Jaques Wagner confirmou que irá disputar as eleições novamente em 2022 para comandar o estado uma outra vez. Em entrevista a Mário Kertész hoje (4), durante o Jornal da Bahia no Ar da Rádio Metrópole, o senador petista reforçou, no entanto, que não há como discutir eleição em meio à pandemia. "Sou [candidato]. Mas estou insistindo em dizer para as pessoas que, para chegar em 2022, temos que estar trabalhando na angústia do povo, trabalhando por auxílio. Não dá para conversar sobre eleição agora. Conversar de eleição é extraterrestre", disse Wagner.

O senador ainda afirmou que cogita entrar com uma notícia-crime contra o presidente Jair Bolsonaro por prevaricação. O crime consiste em retardar, deixar de praticar ou praticar indevidamente ato de ofício, ou praticá-lo contra disposição expressa de lei, para satisfazer interesse ou sentimento pessoal. Para Wagner, não há mais o que se investigar. "Estou só protegendo o que acredito, que é trabalhar 2021 para salvar vidas. O pessoal lá queria CPI da Covid. Eu não assinei. Está faltando alguma informação para vocês? O que querem investigar? A irresponsabilidade dele é patente. A leniência do ministro da Saúde também. Não tem mais o que investigar. É melhor fazer uma notícia-crime no Supremo Tribunal Federal por genocídio, irresponsabilidade e prevaricação", disse o petista. 

"Prevaricação é crime conhecido, não tomar a atitude necessária perante um problema que se apresente. Sei que tem gente morrendo, sei que preciso comprar a vacina e finjo que não estou sabendo, ainda falo contra a vacina. Isso se chama prevaricação. Ele é criminoso. Pode ter os adeptos dele, óbvio que todo bandido tem gente que gosta. Ele, para mim, de doido virou bandido", acrescentou Wagner. 

Notícias relacionadas