Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Política

Covid-19: Otto critica defesa por tratamento precoce e diz que negacionismo fez país ficar atrasado

Senador elogiou postura dos governadores para tentar adquirir vacinas diante da inércia do governo federalu o parlamentar.

[Covid-19: Otto critica defesa por tratamento precoce e diz que negacionismo fez país ficar atrasado]
Foto : Metropress

Por Matheus Simoni no dia 08 de Março de 2021 ⋅ 09:02

O senador Otto Alencar (PSD-BA) criticou a defesa do chamado tratamento precoce contra a Covid-19, doença causada pelo coronavírus. Em entrevista a Mário Kertész hoje (8), durante o Jornal da Bahia no Ar da Rádio Metrópole, ele afirmou que não há eficácia comprovada de remédios como hidroxicloroquina e ivermectina.

"Tem remédio precoce para sarampo? Só tem vacina. Tem para H1N1? Não, só tem vacina, é virose. Tem para varíola? Não, só tem vacina. Coronavírus é um vírus, causa uma virose e uma doença muito letar, que levou 266 mil brasileiro a óbito. Só resolve com a vacina, não há como. O que existe agora, depois de muito tempo, são medicamentos que são usados para diminuir as manifestações letais da doença, que são antibióticos e anticoagulantes", disse Otto, que também é médico. 

Segundo o senador, um dos grandes problemas enfrentados na pandemia foi a proliferação de notícias falsas. Para Otto Alencar, a postura de Jair Bolsonaro prejudicou a conscientização da população quanto à gravidade do coronavírus. "Lá atrás, o negacionismo do presidente da República e do ministro da Saúde de querer essa história de medicação e remédio precoce foi um erro muito grande. Muitos juristas consideram inclusive um crime contra a população brasileira. Poderia ter assinado esse consórcio da OMS, Covax Facility. Eles agora vão trazer a vacina para o Brasil, exatamente por falta de cooperação", declarou o senador.

Para Otto, a união entre os governadores do país traz mais benefícios ao Brasil do que o governo federal. "Essa reunião agora dos governadores para ter o comando disso eu acho correto. Já que a União, através do presidente da República e do ministro, não tomaram a posição e o caminho correto de resolver, os governadores devem se associar sim. Agora mesmo está aí na imprensa uma fila de pacientes no RS, um estado que tem desenvolvimento econômico e social mais avançado, sem ter leito hospitalar, querendo transferir doentes de Porto Alegre para outros estados", afirmou.

Notícias relacionadas

[Base de Bolsonaro age para minar CPI no Senado]
Política

Base de Bolsonaro age para minar CPI no Senado

Por Augusto Romeo no dia 13 de Abril de 2021 ⋅ 08:40 em Política

Aliados do governo preparam ofensiva, e ala do STF tenta maioria para que comissão só precise ser instalada após fim da pandemia