Sábado, 31 de julho de 2021

Política

Deputado federal do DEM defendeu expulsão e diz que Maia agiu de forma "desequilibrada"

Leur Lomanto Júnior rechaçou os ataques feitos pelo agora ex-aliado a ACM Neto, presidente nacional da sigla

Deputado federal do DEM defendeu expulsão e diz que Maia agiu de forma "desequilibrada"

Foto: Vinicius Loures/Câmara dos Deputados

Por: Alexandre Santos no dia 15 de junho de 2021 às 08:46

O deputado federal Leur Lomanto Júnior (DEM-BA) classificou como "infantil", "desequilibrada" e "desproporcional" a reação do também deputado Rodrigo Maia diante do processo que culminou com sua expulsão do partido, conforme decisão anunciada pela Executiva nacional da sigla na noite de segunda-feira (14). Maia, que já comandou nacionalmente o Democratas, voltou a atacar o atual presidente da sigla, o ex-prefeito de Salvador ACM Neto, com quem já estava rompido desde o início do ano. 

"Foi dado todo o direito de defesa ao ex-presidente da Câmara. A decisão [pela expulsão] foi tomada por uma unanimidade da comissão da Executiva nacional. O presidente [do DEM] ACM Neto somente acatou uma sugestão feita pelo deputado Efraim Filho, e a comissão decidiu por unanimidade", declarou Leur ao Metro1.

"Rodrigo Maia age de forma infantil, desequilibrada, desproporcional. É de se lamentar, pelo que ele já representou dentro do partido e como presidente da Câmara, que se comporte dessa forma", lamentou  o deputado.

Dentre outros adjetivos que usou para qualificar o político soteropolitano, Maia voltou a comparar ACM Neto ao inquisidor espanhol Tomás de Torquemada (1420-1498). "O presidente Torquemada Neto, usando o seu poder para tentar calar as merecidas críticas à sua gestão, tomou essa decisão. É lamentável o caminho imposto pelo Torquemada para o partido", escreveu o deputado em sua conta no Twitter.

Na sequência, ligou o ex-prefeito soteropolitano ao governo Bolsonaro. "Não só por isso, mas também pela sua deslealdade e falta de caráter, pedi a minha desfiliação. O partido diminuiu. Virou moeda de troca junto ao governo Bolsonaro. Agora é virar a página e juntar forças para um projeto de desenvolvimento do Brasil e em prol dos brasileiros", criticou.

Maia foi o parlamentar que mais tempo pressidiu a Câmara dos Deputados, entre 2016 e 2021. No seu último ano, tentou articular a sucessão para eleger o deputado Baleia Rossi (PMDB). A ação, no entanto, foi frustrada quando a própria executiva do DEM, liderada pelo presidente da legenda, ACM Neto, decidiu apoiar o candidato Arthur Lira (PP), ligado ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Irritado com o movimento, o qual classificou como "traição", Maia passou a atacar ACM Neto e demais integrantes da legenda. Em entrevista à Rádio Metropolechegou a dizer que o ex-prefeito de Salvador articulava para ser vice na chapa de Bolsonaro, em 2022. Quatro dias depois, nas redes sociais, foi ainda mais duro, chamando Neto de "baixinho sem caráter",  "oportunista" e "malandro baiano".

Aliado de Eduardo Paes (PSD), Maia ensaia ingresso em siglas do arco de alianças do prefeito do Rio de Janeiro, mas não respondeu sobre seu futuro partidário. 

Deputado federal do DEM defendeu expulsão e diz que Maia agiu de forma "desequilibrada" - Metro 1