Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Política

STF autoriza quebra de sigilos fiscal e bancário do senador Edison Lobão

A quebra dos sigilos fiscal e bancário do senador Edison Lobão (PMDB-MA) englobando o período de 2011 a 2015, foi autorizada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Teori Zavascki, de acordo com informações confirmadas pela assessoria de imprensa do STF. [Leia mais...]

[STF autoriza quebra de sigilos fiscal e bancário do senador Edison Lobão]
Foto : Edilson Rodrigues/Agência Senado

Por Jessica Galvão no dia 09 de Janeiro de 2016 ⋅ 20:12

A quebra dos sigilos fiscal e bancário do senador Edison Lobão (PMDB-MA) englobando o período de 2011 a 2015, foi autorizada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Teori Zavascki, de acordo com informações confirmadas pela assessoria de imprensa do STF.

A Polícia Federal solicitou a quebra de sigilos e concedeu em 10 de dezembro de 2015, período anterior ao início do recesso do Judiciário. O ministro também autorizou a quebra dos sigilos de André Serwy, suposto operador do senador, e de empresas ligadas ao senado.

Em entrevista ao G1, o advogado de Lobão, Antonio Carlos de Castro Machado, o Kakay, afirmou que o senador já tinha colocado os sigilos à disposição da Justiça. "Na realidade, o próprio ministro colocou à disposição da Polícia Federal e do Ministério Público, quando foi depor, o seu sigilo fiscal e todos os demais. Esta determinação não nos surpreende e está ao encontro do que ele próprio propôs como senador da República", afirmou o advogado.

Lobão é investigado na Operação Lava Jato por suposto recebimento de propina nas obras da usina nuclear de Angra 3.

Notícias relacionadas

[Se Deus quiser vou continuar meu mandato, diz Bolsonaro]
Política

Se Deus quiser vou continuar meu mandato, diz Bolsonaro

Por Juliana Rodrigues no dia 21 de Janeiro de 2021 ⋅ 10:05 em Política

Em conversa com apoiadores, presidente ainda responsabilizou governo do Amazonas e prefeitura de Manaus pelo caos na saúde da capital: "Todo mundo me culpa. Tudo sou eu"