Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Política

Em festa do PT, Lula diz: "Se precisar, serei candidato a presidente em 2018"

Durante o seu discurso na festa de aniversário de 36 anos do PT, no último sábado (27), no Rio de Janeiro, o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que se o PT entender que é necessário, ele será candidato à Presidência em 2018. [Leia mais...]

[Em festa do PT, Lula diz:
Foto : Reprodução/Fotos Públicas

Por Gabriel Nascimento no dia 28 de Fevereiro de 2016 ⋅ 11:47

Durante o seu discurso na festa de aniversário de 36 anos do PT, no último sábado (27), no Rio de Janeiro, o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que se o PT entender que é necessário, ele será candidato à Presidência em 2018. Em quase 40 minutos, o ex-presidente criticou a oposição e a imprensa, que de acordo com ele, estão tentando atingi-lo “com mentiras, com vazamento de informações e a criminalização”, por meio de notícias, sem que haja qualquer julgamento.

Lula negou que seja o dono do triplex no Guarujá e do sítio em Atibaia – imóveis investigados pela Justiça e que tiveram destaque na imprensa nos últimos dias. "Eles pensam que, com essa perseguição, vão me tirar da luta. Eles não conhecem o PT. Se quiserem me derrotar, não vão me derrotar mentindo. Terão que me enfrentar nas ruas, conversando com o povo brasileiro”, declarou. “Se eles quiserem voltar ao poder, vão ter que aprender a ser democráticos, disputar eleições e acatar o resultado. Se eles quiserem, se preparem para 2018. Afiem suas garras e vamos disputar democraticamente”, acrescentou.

Ele destacou que essa situação serve para fortalecer partido. Lula também disse que, apesar das divergências entre o PT e o governo da presidente da República, Dilma Rousseff, o partido está ao lado dela. Lula disse que está à frente de um exército de milhares de soldados para defender o mandato de Dilma. “Por mais que tenha discordância em alguma coisa, a Dilma tem que ter certeza de que o lado dela é esse. Ela precisa de nós para poder sobreviver aos ataques que ela vem sofrendo no Congresso Nacional pelos nossos adversários”, completou. 

Notícias relacionadas

[Se Deus quiser vou continuar meu mandato, diz Bolsonaro]
Política

Se Deus quiser vou continuar meu mandato, diz Bolsonaro

Por Juliana Rodrigues no dia 21 de Janeiro de 2021 ⋅ 10:05 em Política

Em conversa com apoiadores, presidente ainda responsabilizou governo do Amazonas e prefeitura de Manaus pelo caos na saúde da capital: "Todo mundo me culpa. Tudo sou eu"