Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Política

Chamado de oportunista por Nilo, Prisco critica aumento de gastos na Assembleia

Entre os deputados presentes na votação relâmpago de ontem (2), na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), o deputado soldado Prisco (PSDB) foi o único contra ao projeto que resulta na criação de três novos cargos na estrutura da casa. [Leia mais...]

[Chamado de oportunista por Nilo, Prisco critica aumento de gastos na Assembleia]
Foto : Tácio Moreira / Metropress

Por Camila Tíssia e Matheus Morais no dia 03 de Março de 2016 ⋅ 09:50

Entre os deputados presentes na votação relâmpago de terça (1º), na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), o deputado Soldado Prisco (PSDB) foi o único contra o projeto que resulta na criação de três novos cargos na estrutura da Casa. Na manhã desta quinta-feira (3), ao apresentador Zé Eduardo, na Rádio Metrópole, o presidente da AL-BA, Marcelo Nilo, chamou Prisco de "oportunista". Também à Metrópole, Nesta manhã, o tucano rebateu Nilo e defendeu que o "este não é o momento de dar um aumento".

"Graças a Deus, na minha vida, eu não preciso de oportunismo. As urnas dizem isso. A reunião com Nilo [em que o presidente da Casa apresentou o projeto aos deputados] eu não participei. porque estou em três comissões na Casa, e havia reuniões acontecendo ao mesmo tempo. Quando eu saí, fui no plenário, soube o que foi tratado na reunião [com Marcelo Nilo], comuniquei o líder da minha bancada e disse que não ia votar favorável. A carapuça não cai para mim. Eu fui eleito maciçamente pelos servidores públicos. Se houvesse outra votação, votaria contra de novo. Este não é o melhor momento para isso", falou Prisco. 

Pouco antes, Nilo declarou que Prisco não foi na reunião e acusou o deputado de ter ido à imprensa "deturpar" o que aconteceu na votação. "A bancada de oposição é aguerrida. Foram aumentados dois cargos na assistência militar. Ele não participou da reunião, faz um bom mandato e foi oportunista. Ele foi no plenário e jogou para a plateia. [O projeto] Foi aprovado por unanimidade na mesa. Liberei os deputados para votarem contra, mas eles votaram a favor. Tenho respeito grande, é um direito dele, mas não é justo. Fiz uma reunião com a base do governo, com a mesa diretora. Ele deveria ter ido na reunião, quando vai no gabinete, é diferente do que ele diz", defendeu.

Logo após a declaração de Nilo, Mário Kertész questionou a fala do deputado. "Ele disse que liberou a oposição para votar. É ele que libera a oposição?".

Leia mais:

Nilo responde denúncia da Metrópole e nega que cargos tenham sido criados

Notícias relacionadas

[Se Deus quiser vou continuar meu mandato, diz Bolsonaro]
Política

Se Deus quiser vou continuar meu mandato, diz Bolsonaro

Por Juliana Rodrigues no dia 21 de Janeiro de 2021 ⋅ 10:05 em Política

Em conversa com apoiadores, presidente ainda responsabilizou governo do Amazonas e prefeitura de Manaus pelo caos na saúde da capital: "Todo mundo me culpa. Tudo sou eu"