Política

Marina Silva critica PMDB por rompimento com Dilma: “Em apenas três minutos”

A ex-senadora e líder da Rede Sustentabilidade, Marina Silva, criticou o rompimento do PMDB com o governo Dilma Rousseff (PT). Segundo Marina, em sua página no Facebook, na terça-feira (29), em "apenas três minutos, e por unanimidade dos diretórios presentes, o PMDB abandonou o governo do qual foi o maior sócio e beneficiário nos últimos 13 anos". Para a ex-senadora, o PMDB é responsável, ao lado do governo federal, pela situação atual do país, mas mesmo assim não deu satisfação à sociedade nem pediu desculpas."Apenas a jogada política supostamente magistral para tentar se descolar da crise política e reinventar-se como solução. Continua o mesmo e velho PMDB tentando renascer das cinzas da fogueira que ele ajudou a atear", postou ela. Marina se manifestou depois de uma hora da decisão do PMDB. Apesar de dizer que impeachment não é golpe, a ex-senadora tem defendido que a solução mais legítima seria a impugnação da chapa vencedora da eleição de 2014, composta por Dilma Rousseff e Michel Temer pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), conforme processo já em tramitação.

[Marina Silva critica PMDB por rompimento com Dilma: “Em apenas três minutos”]
Foto : Agência Brasil

Por Matheus Morais no dia 30 de Março de 2016 ⋅ 08:37

A ex-senadora e líder da Rede Sustentabilidade, Marina Silva, criticou o rompimento do PMDB com o governo Dilma Rousseff (PT). Segundo Marina, em sua página no Facebook, na terça-feira (29), em "apenas três minutos, e por unanimidade dos diretórios presentes, o PMDB abandonou o governo do qual foi o maior sócio e beneficiário nos últimos 13 anos". Para a ex-senadora, o PMDB é responsável, ao lado do governo federal, pela situação atual do país, mas mesmo assim não deu satisfação à sociedade nem pediu desculpas.

"Apenas a jogada política supostamente magistral para tentar se descolar da crise política e reinventar-se como solução. Continua o mesmo e velho PMDB tentando renascer das cinzas da fogueira que ele ajudou a atear", postou ela. Marina se manifestou depois de uma hora da decisão do PMDB. Apesar de dizer que impeachment não é golpe, a ex-senadora tem defendido que a solução mais legítima seria a impugnação da chapa vencedora da eleição de 2014, composta por Dilma Rousseff e Michel Temer pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), conforme processo já em tramitação.

Notícias relacionadas