Faça parte do canal da Metropole no WhatsApp >>

Domingo, 19 de maio de 2024

Home

/

Notícias

/

Política

/

Em Brasília, Macron cita 8 de janeiro: "A praça dos Três Poderes foi destruída pelos inimigos da democracia"

Política

Em Brasília, Macron cita 8 de janeiro: "A praça dos Três Poderes foi destruída pelos inimigos da democracia"

Lula recebeu o presidente da França, Emmanuel Macron, em cerimônia oficial no Palácio do Planalto, em Brasília

Em Brasília, Macron cita 8 de janeiro: "A praça dos Três Poderes foi destruída pelos inimigos da democracia"

Foto: Ricardo Stuckert / PR

Por: Metro1 no dia 28 de março de 2024 às 15:29

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) recebeu no início da tarde desta quinta-feira (28) o presidente da França, Emmanuel Macron, em cerimônia oficial no Palácio do Planalto, em Brasília. Macron, citou os atos golpistas de 8 de janeiro.

O presidente da França afirmou que a Praça dos Três Poderes – local onde estão localizados o Palácio do Planalto, o Supremo Tribunal Federal e o Congresso Nacional – "foi atacada, destruída praticamente, ou, pelo menos, bastante maltratada pelos inimigos da democracia".

"Toda minha comitiva e eu, pessoalmente, nos sentimos imensamente honrados de estarmos hoje aqui ao seu lado, hoje, aqui, neste lugar, nesta Praça dos Três Poderes [...]. A maneira com que [Lula] conseguiu reconstituir os equilíbrios da democracia e levar a cabo esse debate internacional significa muitíssimo para nós", declarou Macron.

"Ninguém está a salvo de forças muito extremas, que vêm estremecer a democracia. E a força da democracia do Brasil foi de resistir a isso. Com uma alternância democrática, restaurando plenamente e integralmente todos os equilíbrios", afirmou.

Passagem de Macron

O evento na capital federal marca o último dia da passagem de Macron pelo país. Ele também visitou Pará, Rio de Janeiro e São Paulo. A agenda prevê uma reunião bilateral entre os dois presidentes, onde devem discutir assuntos em que os dois países discordam no campo da política internacional, como o acordo de livre comércio entre a União Europeia e o Mercosul e a guerra entre a Rússia e a Ucrânia.