Faça parte do canal da Metropole no WhatsApp >>

Sexta-feira, 14 de junho de 2024

Home

/

Notícias

/

Política

/

Governo planeja flexibilizar lei de licitações para tornar mais ágeis regras de contratações durante calamidades

Política

Governo planeja flexibilizar lei de licitações para tornar mais ágeis regras de contratações durante calamidades

Dweck participou de uma reunião virtual com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e prefeitos do Rio Grande do Sul

Governo planeja flexibilizar lei de licitações para tornar mais ágeis regras de contratações durante calamidades

Foto: Ricardo Stuckert/Planalto

Por: Metro1 no dia 17 de maio de 2024 às 19:41

A ministra da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos, Esther Dweck, anunciou nesta sexta-feira (17) que o governo enviará uma medida provisória (MP) ao Congresso com a flexibilização da Nova Lei de Licitações para tornar mais ágeis as regras de contratações, especialmente para obras e serviços de engenharia.

“A Nova Lei de Licitações já tem algumas previsões para situações de emergência, mas a gente concorda que elas não são suficientes para enfrentar uma situação com a desse momento [no Rio Grande do Sul]. Sabemos que os gestores acabam ficando em uma situação difícil de ter que resolver problemas de forma imediata e com as regras de contratação que muitas vezes não permitem agir da forma correta como deveriam agir”, disse a ministra.

Dweck participou de uma reunião virtual com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e prefeitos do Rio Grande do Sul. O governo federal tem atuado para ajudar na reconstrução das cidades gaúchas. Segundo a ministra, as regras não se restringirão só ao estado, mas poderão ser aplicadas a outras eventuais situações de calamidade pública.

Para ministra, o escopo ampliado da medida visa dar segurança jurídica aos gestores municipais e estaduais em situações extremas que demandam celeridade na tomada de decisões. “Estamos aperfeiçoando o que foi pensado na pandemia. E a nossa ideia é justamente simplificar e permitir que os senhores possam atuar com segurança jurídica”, disse.