Faça parte do canal da Metropole no WhatsApp >>

Quinta-feira, 11 de julho de 2024

Home

/

Notícias

/

Política

/

Nova joia de Bolsonaro robustece as investigações da PF, diz diretor Andrei Rodrigues

Política

Nova joia de Bolsonaro robustece as investigações da PF, diz diretor Andrei Rodrigues

A conclusão do inquérito está prevista para junho, com possibilidade de indício ao ex-presidente por peculato

Nova joia de Bolsonaro robustece as investigações da PF, diz diretor Andrei Rodrigues

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Por: Metro1 no dia 11 de junho de 2024 às 14:39

Atualizado: no dia 11 de junho de 2024 às 15:24

O diretor da Polícia Federal, Andrei Rodrigues, informou que as investigações identificaram a existência de uma nova joia negociada pelo ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) nos Estados Unidos. Segundo o chefe da pasta, o elemento “robustece a investigação que se tem feito” sobre as transações de artigos de luxo feitas pelo ex-presidente e seus aliados. 

Rodrigues fez a declaração durante uma entrevista coletiva nesta terça-feira (11). “A nossa diligência localizou que, além dessas joias que já sabíamos que existiam, houve negociação de outra joia que não estava no foco dessa investigação. Não sei se ela já foi vendida ou não foi. Mas houve o encontro de um novo bem vendido ou tentado ser vendido no exterior”, disse o diretor.

O item foi descoberto nas diligências da PF com o FBI, em uma cooperação internacional nomeada de Tratado de Assistência Jurídica Mútua (Mutual Legal Assistance Treaties). A expectativa é que o caso seja concluído ainda neste mês de junho, e Bolsonaro pode ser indiciado por peculato. 

Ainda de acordo com o diretor da PF, a previsão da conclusão do inquérito que apura fraudes no cartão de vacinação de Bolsonaro também é em junho. O relatório desta investigação já havia sido enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF), no entanto, a Procuradoria-Geral da República (PGR) pediu diligências adicionais, que já foram concluídas.

As joias foram presentes de governos estrangeiros para o ex-presidente Bolsonaro, durante seu mandato no Palácio do Planalto. Em 11 de agosto de 2023, a Polícia Federal publicou um relatório que apontava um suposto esquema de venda destes presentes oficiais a joalherias nos EUA por aliados do ex-presidente. Entre os itens, por exemplo, estão o relógio da marca de luxo Rolex, avaliado em US$ 68.000, que foi recomprado por Frederick Wassef, advogado de Bolsonaro, depois das investigações sobre o caso.