Faça parte do canal da Metropole no WhatsApp >>

Quinta-feira, 18 de julho de 2024

Home

/

Notícias

/

Política

/

FUP pede cancelamento da venda da refinaria de Mataripe após indiciamento de Bolsonaro

Política

FUP pede cancelamento da venda da refinaria de Mataripe após indiciamento de Bolsonaro

Punição dos executivos da Petrobras responsáveis pela entrega da refinaria em Mataripe também é cobrada

FUP pede cancelamento da venda da refinaria de Mataripe após indiciamento de Bolsonaro

Foto: Divulgação/Petrobras

Por: Metro1 no dia 10 de julho de 2024 às 08:59

Atualizado: no dia 10 de julho de 2024 às 16:47

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) pediu o cancelamento da venda da Refinaria Landulpho Alves (RLAM) e sua imediata reestatização após o indiciamento do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) no caso das joias sauditas.

De acordo com o coordenador da FUP, Deyvid Bacelar, a Refinaria foi “vendida a preço de banana” para a Fundo Mubadala Capital, de Abu Dhabi, nos Emirados Árabes, por apenas US$ 1,65 bilhão, mesmo que a precificação de mercado indicasse, na época, que a refinaria valia no mínimo US$ 4 bilhões.

“Será coincidência a nossa refinaria ter sido vendida por menos da metade do valor de mercado para o Mubadala, meses após Bolsonaro e seus comparsas, incluindo o ex-ministro das Minas e Energia, terem recebido indevidamente joias milionárias de autoridades do Oriente Médio? Estamos diante de um crime de lesa-pátria que precisa ser investigado, como nós petroleiros e petroleiras cobramos há anos”, defende Barcelar. 

Segundo o coordenador da FUP, a Controladoria Geral da União chegou a emitir um relatório apontando que a refinaria foi vendida por menos da metade do seu preço. Há cerca de um ano, a instituição apresentou um pedido de investigação ao Ministério Público Federal sobre a relação entre as joias recebidas por Bolsonaro e a venda da Refinaria.