Política

Por cinco votos, Câmara rejeita PEC da redução da maioridade penal

A Câmara Federal rejeitou, em sessão na madrugada desta quarta-feira (1°), a Proposta de Emenda àConstituição (PEC) que reduz a maioridade penal de 18 para 16 anos em crimes considerados graves. [Leia mais...]

[Por cinco votos, Câmara rejeita PEC da redução da maioridade penal]
Foto : Luis Macedo / Câmara dos Deputados

Por Juliana Almirante no dia 01 de Julho de 2015 ⋅ 07:37

A Câmara Federal rejeitou, em sessão na madrugada desta quarta-feira (1°), a Proposta de Emenda à  Constituição (PEC) que reduz a maioridade penal de 18 para 16 anos em crimes considerados graves. Após mais de quatro horas de discussão, o placar ficou com 303 votos a favor, 184 contra e três abstenções. Para ser aprovado, o texto da PEC precisava de, no mínimo, o voto de 308 deputados, ou seja, faltaram apenas cinco votos a favor para a aprovação.

A PEC reduz a maioridade penal para a prática de crimes hediondos, como estupro, latrocínio; homicídio qualificado e lesão corporal grave, lesão corporal grave seguida de morte e roubo agravado (quando há sequestro ou participação de dois ou mais criminosos, entre outras circunstâncias). Durante a sessão, houve protestos de movimentos sociais e de direitos humanos que questionavam a aprovação da medida.  A matéria havia sido colocado em pauta com articulação do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB).

Depois da rejeição, Cunha afirmou que  o plenário deverá fazer nova votação para deliberar sobre a proposta original, que diminui a maioridade penal para todos os crimes. “Iremos deliberar no colégio de líderes”, disse.

Notícias relacionadas

[Alexandre de Moraes toma posse como ministro do TSE]
Política

Alexandre de Moraes toma posse como ministro do TSE

Por Luciana Freire no dia 02 de Junho de 2020 ⋅ 18:48 em Política

Autoridades participaram da cerimônia de posse por videoconferência, entre elas, o presidente Jair Bolsonaro; mandato no cargo é de dois anos

[Filha de Queiroz se diz 'professora antifascista']
Política

Filha de Queiroz se diz 'professora antifascista'

Por Luciana Freire no dia 02 de Junho de 2020 ⋅ 14:40 em Política

Nathália foi assessora de Flávio Bolsonaro e do então deputado Jair Bolsonaro; ela é investigada por possível participação em esquema de rachadinhas de Flávio