Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Política

Impeachment: Julgamento final de Dilma começa dia 25 no Senado

A defesa da presidente afastada Dilma Rousseff foi notificada nesta sexta-feira (12), por meio de um documento entregue no Senado, que o julgamento final da petista no processo de impeachment será iniciado, às 9h, do dia 25 de agosto. A data foi definida pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : José Cruz/Agência Brasil

Por Stephanie Suerdieck no dia 12 de Agosto de 2016 ⋅ 15:31

A defesa da presidente afastada Dilma Rousseff foi notificada nesta sexta-feira (12), por meio de um documento entregue no Senado, que o julgamento final da petista no processo de impeachment será iniciado, às 9h, do dia 25 de agosto. A data foi definida pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski, que comandará o julgamento. A notificação convoca Dilma ou seus advogados a comparecerem na sessão.

Responsável pela defesa da petista, o ex-ministro José Eduardo Cardozo entregou nesta sexta, a três minutos do encerramento do prazo, os documentos finais da defesa da presidente afastada no processo de impeachment. O documento tem 670 páginas e, além de rebater os argumentos da acusação, apresenta uma lista com seis testemunhas que a defesa quer ouvir durante o julgamento final.

Na próxima semana, líderes partidários vão se reunir para ajustar detalhes do julgamento, como os tempos para cada senador formular perguntas às testemunhas e para discutir o processo pela última vez.

Notícias relacionadas

[Base de Bolsonaro age para minar CPI no Senado]
Política

Base de Bolsonaro age para minar CPI no Senado

Por Augusto Romeo no dia 13 de Abril de 2021 ⋅ 08:40 em Política

Aliados do governo preparam ofensiva, e ala do STF tenta maioria para que comissão só precise ser instalada após fim da pandemia