Política

Deputado diz que governador se reuniu com Temer para pedir recursos

O deputado federal Lúcio Vieira Lima (PMDB) desmentiu o governador Rui Costa (PT) e afirmou na manhã desta quinta-feira (1º) em entrevista à Radio Metrópole, que o petista se reuniu há cerca de 15 dias com o presidente da República, Michel Temer, e o ministro Geddel Vieira Lima. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Agência Câmara

Por Matheus Morais no dia 01 de Setembro de 2016 ⋅ 10:11

O deputado federal Lúcio Vieira Lima (PMDB) desmentiu o governador Rui Costa (PT) e afirmou na manhã desta quinta-feira (1º) em entrevista à Radio Metrópole, que o petista se reuniu há cerca de 15 dias com o presidente da República, Michel Temer, e o ministro Geddel Vieira Lima.

"O governo de Temer tem boa vontade. O ministro Geddel liberou financiamento para o BRT, também está liberando R$ 25 milhões para o Denocs, para matar a sede dos baianos. Liberou dinheiro para carros pipas, liberou R$ 5 milhões para o governo do estado liberar carros pipas. Liberou R$ 12 milhões para o Fundo Estadual de Educação. Agora, você tem que perguntar a Rui se ele vai sentar à mesa e pedir a golpista. Com que desculpa eles vão disputar a eleição? O que eles dizem golpistas são republicanos. Rui atacava de público, mas durante o impeachment, em privado, se sentou com Michel Temer e pediu recursos", disse. 

"Tem uns 15 dias que Rui Costa se sentou com Geddel e Temer. O ministro Geddel já ligou para o governador e se colocou à disposição para conversar. O único ministro efetivamente que fez pela Bahia foi Geddel Vieira Lima", disse. 

No começo deste mês, em entrevista à Metrópole, o ministro Geddel Vieira Lima afirmou que procurou o governador Rui Costa para que o petista pudesse ter um encontro com o presidente Michel Temer, mas que não havia tido uma sinalização positiva. 

 

 

Notícias relacionadas

[Bolsonaro quer iniciar 2020 com reforma ministerial]
Política

Bolsonaro quer iniciar 2020 com reforma ministerial

Por Juliana Rodrigues no dia 14 de Dezembro de 2019 ⋅ 14:28 em Política

Titulares das pastas da Educação, Casa Civil e Minas e Energia devem ser substituídos, segundo interlocutores do governo