Política

Reforma da Previdência deve ser enviada ao Legislativo este mês, diz Geddel

O ministro-chefe da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, responsável pela articulação política do governo com parlamentares, afirmou nesta terça-feira (6) que o Palácio do Planalto enviará a proposta de Reforma da Previdência ao Legislativo ainda no mês de setembro. “[Fazer a Reforma da Previdência] É absolutamente irreversível. O governo já tomou essa decisão”, garantiu. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Tácio Moreira/Metropress

Por Luiza Leão no dia 06 de Setembro de 2016 ⋅ 20:01

O ministro-chefe da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, responsável pela articulação política do governo com parlamentares, afirmou nesta terça-feira (6) que o Palácio do Planalto enviará a proposta de Reforma da Previdência ao Legislativo ainda no mês de setembro. “[Fazer a Reforma da Previdência] É absolutamente irreversível. O governo já tomou essa decisão”, garantiu.

Em uma das proposições, o texto prevê a aposentadoria de homens e mulheres com a idade mínima de 65 anos. Atualmente as mulheres se aposentam com idade mínima de 60 anos. O ministro afirmou que os principais pontos da reforma previdenciária já estão acordados.  “Basicamente, não tem discordância”, disse. “Vamos fechar o texto, as justificativas para que ele [Temer] possa bater o martelo”, declarou Geddel em entrevista coletiva realizada no Planalto.

Notícias relacionadas

[STJ concede prisão domiciliar a ex-assessor Fabrício Queiroz]
Política

STJ concede prisão domiciliar a ex-assessor Fabrício Queiroz

Por João Brandão no dia 09 de Julho de 2020 ⋅ 16:28 em Política

Investigado por participação em esquema de “rachadinha” na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), onde Flávio Bolsonaro ocupou cadeira de deputado, Queiroz est...

[Bolsonaro ironizava uso de máscara: 'Coisa de viado']
Política

Bolsonaro ironizava uso de máscara: 'Coisa de viado'

Por Metro1 no dia 08 de Julho de 2020 ⋅ 09:02 em Política

O uso de máscara é recomendado para todas as pessoas, independente da orientação sexual, pois diminui a taxa de transmissão do vírus que causa a Covid-19