Política

Rui questiona prisão de ex-ministro Guido Mantega: "Que perigo representava?"

O governador do estado, Rui Costa (PT), comentou a prisão do ex-ministro da Fazenda Guido Mantega, na manhã desta quinta-feira (22), pela 34ª fase da Operação Lava Jato. [Leia mais...] "

[Imagem not found]
Foto : Agência Brasil

Por Matheus Morais e Gabriel Nascimento no dia 22 de Setembro de 2016 ⋅ 08:19

O governador do estado, Rui Costa (PT), comentou a prisão do ex-ministro da Fazenda Guido Mantega, na manhã desta quinta-feira (22), pela 34ª fase da Operação Lava Jato. Em entrevista à Rádio Metrópole, o petista ainda criticou a atuação de alguns juízes e promotores. "Eu considero que ninguém, absolutamente ninguém está acima da lei. Nem governador, nem prefeito, deputado, presidente, nem ex-presidente, ministro, ex. É claro, nítido, transparente, a partidarização, a politização e um verdadeiro espetáculo promovido por alguns promotores e juízes em nosso país. O ex-ministro estava no hospital acompanhando a cirurgia da esposa e vai preso. Pergunto qual o perigo que ele tava representando pra sociedade nesse momento?", questionou. 

"Falei a última vez aqui deu repercussão nacional. Acharam o helicóptero com 400 kg de cocaína, provavelmente sabiam pra onde iria, mas faltou convicção de quem estava apurando e aí congelaram esse caso. As pessoas responsáveis pela investigação nunca mais tocaram no assunto, e um ex-ministro sofre esse espetáculo midiático de pessoas que não respeitam a constituição, nem a lei do Brasil. Está passando de todos os limites. A lei é clara sobre as garantias individuais, não vou ficar fazendo comparação, o povo sabe o que está acontecendo. Quem tem vastos elementos, contas no exterior, continua passeando, jantando em restaurantes chiques do Rio de Janeiro e nada acontece", completou. 

Notícias relacionadas

[Bolsonaro oficializa saída do PSL]
Política

Bolsonaro oficializa saída do PSL

Por Metro1 no dia 12 de Novembro de 2019 ⋅ 17:59 em Política

Ele pretende criar um novo partido, chamado Aliança pelo Brasil