Política

Defesa argumenta decisão do Supremo para pedir liberação de Cunha

Preso há cinco dias, ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB), entrou com pedido de liberação nessa segunda-feira (24). Feito através dos seus advogados de defesa, o pedido foi apresentado ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região, em Porto Alegre [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Wilson Dias/Agência Brasil

Por Bárbara Silveira no dia 24 de Outubro de 2016 ⋅ 10:11

Preso há cinco dias, ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB), entrou com pedido de liberação nessa segunda-feira (24). Feito através dos seus advogados de defesa, o pedido foi apresentado ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região, em Porto Alegre. 

Segundo a defesa, o Supremo Tribunal Federal (STF) descartou a prisão, que já havia sido solicitada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ao analisar um pedido de afastamento do deputado cassado, em maio deste ano. Detido em Curitiba desde a última quarta-feira (19), Cunha é acusado de receber propina em um contrato de exploração de petróleo no Benin, na África. 

 

Notícias relacionadas

['A gente vai dar muito trabalho', diz Tabata Amaral]
Política

'A gente vai dar muito trabalho', diz Tabata Amaral

Por Matheus Simoni e Juliana Almirante no dia 23 de Maio de 2019 ⋅ 13:10 em Política

Deputada integra a comissão da Educação na Câmara e contou sobre o trabalho feito pelos 59 parlamentares que fazem parte do colegiado

[Prefeitura cancela nomeação de noivo de vereadora]
Política

Prefeitura cancela nomeação de noivo de vereadora

Por Alexandre Galvão no dia 23 de Maio de 2019 ⋅ 11:30 em Política

Anteriormente, Djavan iria trabalhar na Secretaria Municipal de Promoção Social e Combate à Pobreza, que já abriga a Diretoria Animal, que tem o primo da vereadora, Gusta...

[Coaf sem Moro: veja como votaram os deputados baianos]
Política

Coaf sem Moro: veja como votaram os deputados baianos

Por Alexandre Galvão no dia 23 de Maio de 2019 ⋅ 07:55 em Política

Dez parlamentares votaram para rejeitar a proposta e fazer o órgão de investigação financeira voltar para o Ministério da Justiça, que tem o ministro Sérgio Moro como tit...