Política

Delator da Lava-Jato afirma que Eduardo Cunha pediu propina de US$ 5 milhões

Um dos delatores da Operação Lava-Jato, da Polícia Federal, o consultor Júlio Camargo afirmou à Justiça Federal, nesta quinta-feira (16), que foi pressionado pelo presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), a pagar US$ 10 milhões em propinas para que um contrato de navios-sonda da Petrobras fosse viabilizado. Segundo Camargo, Cunha pediu US$ 5 milhões pessoalmente a ele. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Reprodução / Folha Vitória

Por Stephanie Suerdieck no dia 16 de Julho de 2015 ⋅ 16:26

Um dos delatores da Operação Lava-Jato, da Polícia Federal, o consultor Júlio Camargo afirmou à Justiça Federal, nesta quinta-feira (16), que foi pressionado pelo presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), a pagar US$ 10 milhões em propinas para que um contrato de navios-sonda da Petrobras fosse viabilizado. A informação foi confirmada ao jornal O GLOBO, por três pessoas presentes no depoimento. Segundo Camargo, Cunha pediu US$ 5 milhões pessoalmente a ele.

Ao GLOBO, Cunha negou a acusação e afirmou que o delator é um “mentiroso”. “Ele [Júlio Camargo] é mentiroso. Um número enorme de vezes dele negando qualquer relação comigo e agora [ele] passa a dizer isso. Obviamente, ele foi pressionado a esse tipo de depoimento. É ele que tem que provar. A mim, eu nunca tive conversa dessa natureza, não tenho conhecimento disso. É mentira”, disse o presidente da Câmara.

Júlio Camargo trabalhou como consultor das empreiteiras Toyo Setal e Camargo Corrêa, e nesta semana voltou a ser interrogado pelo juiz Sérgio Moro, quando fez novas revelações que não constavam de seus primeiros depoimentos. Na última terça-feira (14), Camargo disse ter dado R$ 4 milhões em propina para o ex-ministro José Dirceu (PT) a pedido do ex-diretor da Petrobras, Renato Duque, indicado pelo PT. Hoje, segundo os relatos colhidos pela reportagem publicada, acusou Eduardo Cunha de tê-lo extorquido.

Comentarios

Notícias relacionadas

[Justiça determina bloqueio de bens de Lúcio Funaro]
Política

Justiça determina bloqueio de bens de Lúcio Funaro

Por Clara Rellstab no dia 18 de Julho de 2018 ⋅ 12:40 em Política

A decisão que determina o bloqueio dos bens vale para “ativos financeiros disponíveis em contas correntes, poupanças e outras aplicações financeiras”