Política

Câmara dos Deputados discute harmonização entre táxi e Uber

Nesta terça-feira (8), o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, anunciou que vai criar um grupo de trabalho para discutir projeto de lei que irá prever a harmonização do funcionamento do aplicativo de transporte alternativo Uber e dos táxis. Segundo ele, a intenção do grupo é discutir nova redação para um projeto que limite a atividade da Uber. A votação do texto estava marcada para acontecer na tarde desta terça, mas foi retirada da pauta da Casa, em razão de falta de consenso entre os líderes plenários sobre o tema.

[Imagem not found]
Foto : Divulgação

Por Yasmin Garrido no dia 08 de Novembro de 2016 ⋅ 18:56

Nesta terça-feira (8), o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, anunciou que vai criar um grupo de trabalho para discutir projeto de lei que irá prever a harmonização do funcionamento do aplicativo de transporte alternativo Uber e dos táxis. Segundo ele, a intenção do grupo é discutir nova redação para um projeto que limite a atividade da Uber. A votação do texto estava marcada para acontecer na tarde desta terça, mas foi retirada da pauta da Casa, em razão de falta de consenso entre os líderes plenários sobre o tema.

Em entrevista coletiva à imprensa, Maia afirmou que “Os líderes pediram que a gente criasse um grupo de trabalho para discutir uma redação, porque a maioria entende que, de fato, há uma disparidade entre um sistema e outro, mas que não se pode criar uma regra para inviabilizar o Uber”. Para ele, não se pode restringir a atividade de um produto que foi tão bem aceito pela sociedade, agindo em favor de outro. 

De acordo com o deputado do DEM, o grupo terá que apresentar um novo texto em até 30 dias.  “Acho que a gente tem que ver uma forma que harmonize os dois sistemas para que todo mundo possa conviver em harmonia”, declarou Rodrigo Maia.

Na tarde desta terça-feira, já estava prevista, em regime de urgência, outra votação no plenário da Câmara dos Deputados, referente ao projeto do deputado Carlos Zarattini (PT-SP), que determinava a exclusividade de taxistas no transporte de até sete passageiros, o que inviabilizaria a Uber. Taxistas de todo o Brasil se reuniram na frente da Congresso Nacional e na Esplanada dos Ministérios, onde fizeram um protesto a favor do projeto.

Notícias relacionadas