Política

Novo ministro da Justiça já pediu que Cunha fosse anistiado de crimes

O presidente Michel Temer escolheu nesta quinta-feira (23) o deputado federal Osmar Serraglio (PMDB-PR) para ser o novo ministro da Justiça. A escolha levantou polêmica por conta da proximidade do parlamentar com o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha, que teve seu mandato de deputado cassado no ano passado por quebra de decoro parlamentar[Leia mais...]

[Novo ministro da Justiça já pediu que Cunha fosse anistiado de crimes]
Foto : Antônio Cruz/Agência Brasil

Por Matheus Simoni no dia 23 de Fevereiro de 2017 ⋅ 15:36

O presidente Michel Temer escolheu nesta quinta-feira (23) o deputado federal Osmar Serraglio (PMDB-PR) para ser o novo ministro da Justiça. A escolha levantou polêmica por conta da proximidade do parlamentar com o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha, que teve seu mandato de deputado cassado no ano passado por quebra de decoro parlamentar.

Durante o julgamento da ação contra Cunha, em abril do ano passado, o deputado cassado tentava costurar uma pena mais branda no Conselho de Ética da Câmara e teve o apoio de Serraglio para uma eventual anistia. "Eduardo Cunha exerceu um papel fundamental para aprovarmos o impeachment da presidente. Merece ser anistiado", afirmou Serraglio na época. Além de próximo, ele admirava o domínio regimental que Cunha tinha da Casa.

À frente da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania da Câmara dos Deputados, Serraglio também foi acusado de participar de manobras em favor da protelação da análise do processo de cassação de Eduardo Cunha. Entre outras manobras encerrou, em 13 de Julho de 2016, a sessão que avaliaria o processo de Cunha, sem qualquer motivo aparente.

Notícias relacionadas