Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Política

Meirelles diz a Moro que deconhece atuação criminosa de Lula durante mandatos

Nesta sexta-feira (10), durante depoimento ao juiz federal Sergio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse que desconhece qualquer atuação criminosa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante o governo petista, quando presidiu o Banco Central. [Leia mais...]

[Meirelles diz a Moro que deconhece atuação criminosa de Lula durante mandatos]
Foto : Agência Brasil

Por Yasmin Garrido no dia 10 de Março de 2017 ⋅ 14:35

Nesta sexta-feira (10), durante depoimento ao juiz federal Sergio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse que desconhece qualquer atuação criminosa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante o governo petista, quando presidiu o Banco Central. Meirelles foi arrolado como testemunha de defesa em um dos processos a que Lula responde no âmbito da Operação Lava Jato.

Por meio de videoconferência, o ministro contou como foi convidado por Lula para assumir o Banco Central. “Ele [Lula] me perguntou se era possível enfrentar a crise e quais seriam as condições para eu aceitar [o convite]. Eu disse a ele que sim, que era possível contornar a crise, e que eu poderia aceitar desde que o Banco Central tivesse independência de ação, e ele concordou”, relatou Meirelles.

“A minha relação com o presidente era totalmente focada em assuntos relativos ao Banco Central e à política econômica. Nessa interação, nunca vi ou presenciei nada que pudesse ser identificado como algo ilícito”, declarou o ministro.

Notícias relacionadas

[Base de Bolsonaro age para minar CPI no Senado]
Política

Base de Bolsonaro age para minar CPI no Senado

Por Augusto Romeo no dia 13 de Abril de 2021 ⋅ 08:40 em Política

Aliados do governo preparam ofensiva, e ala do STF tenta maioria para que comissão só precise ser instalada após fim da pandemia