Política

Campanha de Michel Temer foi paga pelo comitê central, diz defesa de Dilma

Os advogados da ex-presidente Dilma Rousseff encaminharam ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) comprovantes de que a campanha do presidente Michel Temer (PMDB) de 2014, na chapa formada com a petista, foi paga pelo comitê central de campanha. [Leia mais...]

[Campanha de Michel Temer foi paga pelo comitê central, diz defesa de Dilma]
Foto : Agência Senado

Por Jessica Galvão no dia 18 de Março de 2017 ⋅ 19:31

Os advogados da ex-presidente Dilma Rousseff encaminharam ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) comprovantes de que a campanha do presidente Michel Temer (PMDB) de 2014, na chapa formada com a petista, foi paga pelo comitê central de campanha, segundo informações divulgadas neste sábado (18) pela assessoria de Dilma.

Gustavo Guedes, advogado de Temer na ação no TSE, disse ao G1, que apesar de o presidente e Dilma terem assinado com conjunto a prestação de contas, o ato é uma formalidade porque cada um arrecadou os próprios recursos.

"Ambos podem abrir contas, ambos podem arrecadar, mas, por questão formal, as contas são encaminhadas em conjunto e os dois as assinam. Mas isso não afeta, na minha avaliação, em absolutamente nada o argumento de separação de responsabilidades, porque o presidente Michel Temer não pode ser responsabilizado por conduta que não teve. Cada um deve responder pelas próprias condutas", disse Guedes, segundo o G1.

Leia abaixo a íntegra da nota divulgada pela assessoria de Dilma:

Defesa de Dilma no TSE: Michel Temer teve despesas pagas pelo comitê central

Advogados mostram que alegações do PMDB não se sustentam e não dá para separar o vice da chapa eleita em 2014
Os advogados de defesa da ex-presidenta Dilma Rousseff apresentaram, na noite de sexta-feira, 17, ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), petição com provas de que as despesas da campanha de Michel Temer, candidato a vice-presidente na chapa vitoriosa nas urnas em 2014, foram bancadas pelo comitê central da campanha.
Os documentos com as provas foram encaminhados ao relator do processo no TSE, ministro Herman Benjamin, e derrubam a versão de que Temer teria arrecadado à parte os recursos financeiros para a campanha da reeleição de Dilma. Também fica afastada a hipótese de que ele não teve qualquer participação no pagamento e prestação de serviços para a chapa Dilma-Temer. A tese dos advogados do PMDB é que eventual condenação no TSE afetaria apenas Dilma, excluindo Michel Temer da perda do mandato.

Notícias relacionadas