Política

Ministro da Agricultura promete exonerar indicados políticos

De acordo com a colunista do portal G1 Andréia Sadi, o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, afirmou que recebeu o aval do presidente Michel Temer para demitir os indicados políticos na pasta, após a Operação Carne Fraca. [Leia mais...]

[Ministro da Agricultura promete exonerar indicados políticos ]
Foto : Agência Senado

Por Matheus Morais no dia 20 de Março de 2017 ⋅ 09:43

De acordo com a colunista do portal G1 Andréia Sadi, o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, afirmou que recebeu o aval do presidente Michel Temer para demitir os indicados políticos na pasta, após a Operação Carne Fraca.

Já na sexta-feira (17), 33 fiscais envolvidos no esquema, investigado pela Polícia Federal, foram afastados. Eles são suspeitos de fiscalização irregular de frigoríficos e de liberar licenças fora dos padrões sanitários. Maggi afirmou também que vai aproveitar para promover outras mudanças na pasta. 

"Eu disse a Temer que, neste momento, vamos fazer as mudanças que devem ser feitas independentemente de vontade ou acordo político. Não tem como continuar do jeito que está. O presidente deu carta branca", disse o ministro à coluna. 

"Tem muitas coisas que queremos mudar e às vezes sofremos pressão não só externa mas interna, do corporativismo do ministério, que não quer mudanças. Tem um decreto que vai fazer 65 anos agora, que chama Regulamento de Inspeção de Produtos Animais, e todos os ministros que me antecederam tentaram fazer um atualizado. Mas o corporativismo do ministério não deixou. Eu consegui avançar e vamos fazer o lançamento no final do mês.", completou. 

A base aliada, geralmente, é contemplada pelo governo com cargos de segundo e terceiro escalão nos ministérios. 

Notícias relacionadas

[MPF dá 10 dias para governo explicar censura na Ancine]
Política

MPF dá 10 dias para governo explicar censura na Ancine

Por Kamille Martinho no dia 22 de Agosto de 2019 ⋅ 19:30 em Política

Os procuradores requisitam informações sobre a suspensão do edital e sobre a decisão de não aprovar projetos audiovisuais relacionados a temáticas LGBT