Política

Após pressão, Maia admite adiar votação da reforma da Previdência

Por conta da grande resistência no Congresso ao texto da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da reforma da Previdência, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), já admite adiar a votação que estava inicialmente prevista para o dia 8 de maio. [Leia mais...]

[Após pressão, Maia admite adiar votação da reforma da Previdência]
Foto : Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil

Por Laura Lorenzo no dia 22 de Abril de 2017 ⋅ 11:52

Por conta da grande resistência no Congresso ao texto da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da reforma da Previdência, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), já admite adiar a votação que estava inicialmente prevista para o dia 8 de maio.

\'Se possível vamos votar a matéria no dia 8 de maio, se não for possível, a partir do dia 15\', afirmou, na última sexta-feira (21), no 16º Fórum Empresarial organizado pelo Grupo de Líderes Empresariais. Maia ainda assumiu que, hoje, o governo não tem votos suficientes para garantir a aprovação.

Mesmo assim, o deputado negou que seja um adiamento, alegando que trata-se de um \'aprofundamento na articulação\' junto às bancadas para uma melhor compreensão do texto entregue nesta semana pelo relator, deputado Arthur Maia (PPS-BA).\'Não haverá adiamento, haverá articulação. E a votação quando estivermos a clareza da vitória\', afirmou.

Notícias relacionadas