Política

Lula nega atos ilícitos e diz que Palocci é "calculista, frio e simulador"

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou as declarações do ex-ministro Antonio Palocci durante depoimento ao juiz federal Sergio Moro nesta quarta-feira (13), na Justiça Federal, em Curitiba-PR. O petista rebateu as declarações de que teria avalizado um "pacto de sangue" com a Odebrecht, com o pagamento de R$ 300 milhões em vantagens indevidas em troca de manter o protagonismo da empreiteira no governo. [Leia mais...]

[Lula nega atos ilícitos e diz que Palocci é
Foto : Divulgação

Por Matheus Simoni no dia 13 de Setembro de 2017 ⋅ 17:34

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou as declarações do ex-ministro Antonio Palocci durante depoimento ao juiz federal Sergio Moro nesta quarta-feira (13), na Justiça Federal, em Curitiba-PR. O petista rebateu as declarações de que teria avalizado um "pacto de sangue" com a Odebrecht, com o pagamento de R$ 300 milhões em vantagens indevidas em troca de manter o protagonismo da empreiteira no governo.

"Se ele [Palocci] fosse um objeto, seria um simulador", afirmou. Ainda durante o depoimento, Lula reiterou que pretendia responder os questionamentos da acusação. "Apesar de entender que o processo é ilegítimo, é injusto, eu pretendo falar", disse o ex-presidente. O petista afirma ainda que "talvez seja a pessoa que mais queira a verdade desse processo".

Comentarios

Notícias relacionadas

[Doleiro dos doleiros quer acordo para não ser preso ]
Política

Doleiro dos doleiros quer acordo para não ser preso 

Por Metro1 no dia 24 de Junho de 2018 ⋅ 15:00 em Política

“Dario está aberto e quer falar tudo o que sabe, mas não quer ter a faca no pescoço”, diz José Marcondes de Moura, advogado brasileiro de Messer

[Defesa de Lula rebate afirmação de Moro ao STF]
Política

Defesa de Lula rebate afirmação de Moro ao STF

Por Metro1 no dia 23 de Junho de 2018 ⋅ 16:30 em Política

Os advogados de Lula argumentam que a “indisposição” de Moro para cumprir a decisão da 2ª Turma da Corte ressalta a “constante afronta” ao STF