Política

Wagner diz que PT não tem plano A, B ou C para presidência: “Tem Plano L, de Lula”

Apesar de inúmeros fatores que podem impedir a candidatura do ex-presidente Lula em 2018, no Partido dos Trabalhadores (PT), não há dúvida que ele é o nome da legenda para buscar a Presidência da República [Leia mais...]

[Wagner diz que PT não tem plano A, B ou C para presidência: “Tem Plano L, de Lula”]
Foto : Tácio Moreira/Metropress

Por Bárbara Silveira no dia 19 de Setembro de 2017 ⋅ 15:06

Apesar de inúmeros fatores que podem impedir a candidatura do ex-presidente Lula em 2018, no Partido dos Trabalhadores (PT), segundo o Secretário de Desenvolvimento Econômico da Bahia, Jaques Wagner, não há dúvida que ele é o nome da legenda para buscar a Presidência da República.

Através das redes sociais, Wagner negou, nesta terça-feira (19), que o PT cogite outros nomes para representar o partido na disputa. “Não satisfeitos com o ocorrido em 2016, com a quebra da institucionalidade democrática no Brasil, a Turma do Golpe agora ensaia um novo capítulo, ao tentar impedir a candidatura de Lula à Presidência da República. Parte dessa estratégia consiste em buscar naturalizar supostas candidaturas alternativas dentro do PT. Não contem comigo. O Partido dos Trabalhadores não tem Plano A, B ou C, tem Plano L, de Lula”, disse.

Segundo Wagner, defender a participação de Lula na eleição do ano que vem é defender a democracia. “O presidente já provou que é possível crescer com justiça social, combatendo as desigualdades e gerando empregos. Defender sua memória, seu legado e seu legítimo direito de se apresentar como opção para o povo brasileiro é defender a nossa democracia. Se querem derrotar Lula, que o façam nas urnas e não no tapetão”, completou.

Notícias relacionadas

[Bolsonaro quer iniciar 2020 com reforma ministerial]
Política

Bolsonaro quer iniciar 2020 com reforma ministerial

Por Juliana Rodrigues no dia 14 de Dezembro de 2019 ⋅ 14:28 em Política

Titulares das pastas da Educação, Casa Civil e Minas e Energia devem ser substituídos, segundo interlocutores do governo