Política

Eleição sem Lula é "saída artificial" e com Bolsonaro é "saída excêntrica", diz Wagner

O ex-governador e secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Jaques Wagner, destacou a importância do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nas eleições de 2018. [Leia mais...]

[Eleição sem Lula é
Foto : Matheus Morais/Metropress

Por Matheus Simoni e Matheus Morais no dia 02 de Outubro de 2017 ⋅ 15:57

O ex-governador e secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Jaques Wagner, destacou a importância do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nas eleições de 2018. Em entrevista ao Metro1 nesta segunda-feira (2), durante cerimônia no Salão de Atos da Governadoria para a posse de Arany Santana na Secretaria da Cultura (Secult), o petista afirmou que um pleito sem a participação do correligionário é considerada "artificial".

"Hoje o mundo inteiro, grandes pensadores, falam o óbvio, que é o absurdo em tentar anular um patrimônio histórico dado por ele. Ele é uma figura que é um grande conciliador nacional. O que mais o Brasil está precisando nesse momento é de alguém que tenha a capacidade de conciliar. Qualquer saída é artificial, já que uma eleição sem o Lula é uma saída artificial. Meu plano é L, de Lula. Meu segundo plano é U, de unidade de um projeto que, óbvio, ele é o natural para capitanear", disse Wagner.

Ainda segundo o secretário, as pesquisas reforçam o índice de rejeição de partidos aliados ao governo. Ele ainda considerou que a opção pela candidatura de Jair Bolsonaro (PSC) é "excêntrica"."É isso que vai se revelando, aumentando a rejeição aos partidos de centro-direita. Quem deu o golpe está sendo punido pela população. É claro que, com isso, brotam saídas excêntricas, como por exemplo uma pesquisa considerar uma saída com Bolsonaro. Não se engana o povo durante muito tempo. Nas entrelinhas, ele acaba lendo a realidade", finalizou.

Notícias relacionadas