Política

Moro dá 48 horas para que Lula entregue recibos originais de aluguéis de apartamento

O juiz federal Sergio Moro deu até 48 horas para que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva entregue os recibos originais dos pagamentos de aluguéis do apartamento vizinho ao que o petista mora, em São Bernardo do Campo, em São Paulo, e que é investigado pela Operação Lava Jato. A decisão foi divulgada nesta sexta-feira (13) no sistema da Justiça.[Leia mais..]

[Moro dá 48 horas para que Lula entregue recibos originais de aluguéis de apartamento]
Foto : Agência Brasil

Por Paloma Morais no dia 13 de Outubro de 2017 ⋅ 14:51

O juiz federal Sergio Moro deu até 48 horas para que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva entregue os recibos originais dos pagamentos de aluguéis do apartamento vizinho ao que o petista mora, em São Bernardo do Campo, em São Paulo, e que é investigado pela Operação Lava Jato. A decisão foi divulgada nesta sexta-feira (13) no sistema da Justiça.


A defesa de Lula entregou, ao todo, 31 recibos, porém, por meio virtual e havia pedido uma audiência formal para a entrega dos documentos e com a presença de um perito. O juiz, por sua vez, disse não ser necessária a presença do perito e que os advogados podem fazer cópias dos recibos antes de entregá-los.

Conforme denúncia do Ministério Público Federal (MPF), o imóvel foi supostamente comprado com dinheiro de propina da Odebrecht. De acordo com a acusação contra Lula, Glaucos da Costamarques, parente do pecuarista José Carlos Bumlai, comprou o imóvel com dinheiro da Odebrecht para entregar o apartamento ao petista, que alugava o imóvel desde que assumiu a Presidência. Glaucos tinha dito à Justiça que só começou a receber os valores do aluguel a partir de 2015, apesar de ter declarado à Receita Federal que a família do pestista havia quitado todos os valores desde 2011, após firmação do contrato com a ex-primeira-dama Marisa Letícia.

Lula também tinha feito a declaração dos valores à Receita Federal. De acordo com o MPF, a ação foi feita na tentativa de dar veracidade ao contrato, que seria fictício. O MPF também contestou a originalidade dos 26 primeiros recibos e abriu um incidente de falsidade criminal, alegando que os recibos são "ideologicamente falsos". No dia 9 de setembro, o juiz Moro determinou que a defesa do ex-presidente esclarecesse se possui os originais dos recibos e que, caso eles existam, que fossem apresentados. Na última quarta-feira (11), a defesa de Lula apresentou outros seis recibos de 2011 e informou que iria apresentar os originais.

Notícias relacionadas