Política

"Não vão achar nada", diz Lúcio Vieira Lima sobre busca e apreensão

Após busca e apreensão cumpridos pela Polícia Federal (PF) na residência e no gabinete do deputado federal Lúcio Vieira Lima (PMDB), o peemedebista apareceu pela primeira vez após o episódio, nesta quarta-feira (18), na Câmara dos Deputados. [Leia mais...]

[
Foto : Agência Brasil

Por Paloma Morais no dia 18 de Outubro de 2017 ⋅ 15:24

Após busca e apreensão cumpridos pela Polícia Federal (PF) na residência e no gabinete do deputado federal Lúcio Vieira Lima (PMDB), o peemedebista apareceu pela primeira vez após o episódio, nesta quarta-feira (18), na Câmara dos Deputados. Em entrevista à colunista do portal G1, Andréia Sadi, Lúcio afirmou que o mandado de busca é "normal" no processo investigativo e "até bom" porque, de acordo com ele, os investigadores não encontrarão nenhuma prova que o incrimine.

"Eu tenho certeza de que não vão achar nada. O processo político é que transforma a busca e apreensão como se fosse uma condenação. Os que pensam que isso é um ataque.. isso é uma defesa." Segundo Lúcio, o episódio só ganhou destaque por ele ser irmão de Geddel Vieira Lima.

O deputado e o seu irmão, o ex-ministro Geddel Vieira Lima, são investigados sobre a descoberta de R$ 51 milhões encontrados escondidos em um apartamento em Salvador, considerada a maior apreensão de dinheiro vivo da história da PF.

De acordo com a PF, o apartamento foi emprestado a Lúcio Vieira Lima e era usado por Geddel. A corporação informou ainda que apreendeu uma nota fiscal de uma funcionária de Lúcio Vieira Lima no apartamento onde estava escondido o dinheiro. A PF também encontrou digitais do secretário parlamentar de Lúcio em notas de dinheiro encontradas nas malas que continha o montante. 

 

Notícias relacionadas