Política

Favorável a investigação, Florence fala em "provas robustas" contra Temer e ministros

O deputado federal Afonso Florence (PT) comentou, na manhã desta quarta-feira (25), a estratégia da oposição de não dar quórum na sessão que vai definir o envio da segunda denúncia contra Michel Temer (PMDB) ao Supremo Tribunal Federal (STF) e o seu posicionamento em relação a acusação de obstrução de justiça e organização criminosa. [Leia mais...]

[Favorável a investigação, Florence fala em
Foto : Reprodução/Agência Brasil

Por Gabriel Nascimento e Matheus Morais no dia 25 de Outubro de 2017 ⋅ 08:34

O deputado federal Afonso Florence (PT) comentou, na manhã desta quarta-feira (25), a estratégia da oposição de não dar quórum na sessão que vai definir o envio da segunda denúncia contra Michel Temer (PMDB) ao Supremo Tribunal Federal (STF) e o seu posicionamento em relação a acusação de obstrução de justiça e organização criminosa.

Em entrevista a Mário Kertész, na Rádio Metrópole, pouco antes da votação, o petista se declarou favorável a investigação não só ao presidente, mas também aos ministros da Casa Civil e Secretaria-Geral Eliseu Padilha e Moreira Franco, respectivamente. "Existem provas robustas contra Temer e seus ministros. Vamos trabalhar para que essas investigações sejam continuadas. Vamos votar pela continuidade das investigações", disse.

"Eu vou evitar dar presença agora para não dar quórum. Mas se o governo der quórum, vou votar contra Michel Temer", ressaltou.

O petista aproveitou para rebater o deputado Benito Gama (PTB), que declarou que vai votar para impedir o avanço do processo. "A gravação de Joesley com o Temer foi nesse mandato. Então, essa coisa de dizer que Temer só será julgado em 2019 é uma confissão de culpa. Não é só uma delação premiada, contra Temer tem provas. Além dos danos que ele tem causado ao Brasil", concluiu.

Notícias relacionadas